27 de dez de 2013

Cronos

Título no Brasil: Cronos
Título Original: Cronos
Ano de Lançamento: 1993
Gênero: Terror
País de Origem: México
Duração: 112 minutos
Direção: Guillermo Del Toro
Estúdio/Distrib.:  CNCAIMC, Grupo Del Toro
Idade Indicativa: 18 anos

Elenco: Federico Luppi, Ron Perlman, Claudio Brook, Margarita Isabel, Tamara Shanath.

Sinopse: Um alquimista cria um dispositivo chamado Cronos que proporciona vida eterna, mas após 400 anos ele morre em um acidente e o dispositivo desaparece sendo encontrado muitos anos depois por Jesus Gris  (Federico Luppi), que não tem noção do que o aparelho é capaz de fazer, entretanto há outras pessoas que sabem e também estão atrás do Cronos.

Vai Lendo!

Cronos é um filme de 1993, o primeiro longa metragem do diretor mexicano Guillermo Del Toro, em uma época em que ele não fazia só filmes de bichos com olhos em lugar errado e/ou tique nas mãos. Cronos é um filme de vampiro com uma abordagem tão diferente que você demora a entender que se trata de um filme de vampiros (e eu não me surpreenderia se muita gente terminasse de assistir sem cair a ficha de que o filme é de vampiro). O temática é introduzida de uma maneira tão sutil que quando (a única vez no filme) alguém morde um pescoço em busca de sangue você nem se dá conta de que a pessoa é um vampiro. Sério. Os elementos estão lá: a sede por sangue, a imortalidade, a "alergia" ao sol, até o caixão para dormir e ainda assim não parece um filme de vampiro. Os caninos pontiagudos foram deixados de lado, o que ajuda a desviar da obviedade.

O filme começa com um prólogo explicando o que é o dispositivo Cronos e Del Toro já mostra que seu forte é a maquiagem - elemento técnico que se torna carro chefe na maioria de seus filmes. Em seguida somos apresentados ao protagonista Jesus Gris  (Federico Luppi) e sua neta Aurora (Tamara Shanath). A atuação dos dois é muito boa, mesmo Aurora não falando uma palavra ela exprime muita emoção e é convincente a relação de avô cuidadoso - um elemento importante para o desfecho do filme.

Participação especial de Dercy Gonçalves
Um dia um cara suspeito entra no antiquario de Jesus e demonstra muito interesse numa estátua de um anjo barroco e o velho começa a investigar a estátua e acaba por descobrir um fundo-falso na base da estátua onde está escondido o Cronos. O aparelho é um belo trabalho da equipe de design de arte, muito bem detalhado. O cronos se abre como um escorpião, enfiando as "patas" e o "rabo" em Jesus, que rapidamente retira a coisa da mão.

Mais tarde ele sente uma sede imensa e uma coceira na ferida que o dispositivo deixou em sua mão. Talvez este seja o momento em que o roteiro falhou... por algum motivo Jesus teve a certeza que só melhoraria se colocasse o aparelho na mão novamente e assim o faz. Porque ele chegou a essa conclusão, é um mistério.

Angel de la Guardia (Ron Perlman - o Hellboy!), sobrinho de De la Guardia (Claudio Brook), aparece no antiquário de Jesus interessado em comprar a estátua do anjo e depois volta ao perceber que o que ele queria não estava mais dentro da estátua e destrói a loja do velho. Jesus então decide ir conversar com De la Guardia e descobre o que o dispositivo cronos é capaz de fazer.

Vampiro Zumbi-Inseto

De la Guardia é um homem velho e doente que tem medo da morte e quer viver eternamente. Aqui tem outro ponto que eu acho fraco no roteiro: De la Guardia encontrou um livro que falava sobre o dispositivo cronos e aceita normalmente que o aparelho existe e é capaz de fazer o que diz fazer e decide usar toda sua fortuna para obter o objeto. É um inverossímil alguém acreditar cegamente na existência de um aparato quase mágico com capacidades milagrosas só porque achou um livro velho falando isso. Mas tem gente que acredita na Samara do Arame-Farpado e repassa a corrente, então tudo é possível né? A gente segue assistindo ao filme como se nada tivesse acontecido.

Cronos se diz um filme de terror, mas não é muito assustador. Tem algumas coisas nojentas como Jesus lambendo sangue no chão do banheiro ou descascando a pele, mas no geral não é um filme pesado. A trilha sonora tem importante papel na descaracterização do filme com muitas marchinhas mexicana e música acidental que, na maior parte do tempo. tem mais apelo para o emocional do que para o horror. O grande foco no emocional também ajuda nessa descaracterização, o longa pende para o drama-de-fantasia do que horror.

Nossa! Que medo. Passa a margarina?

Cronos é um filme bom, bem feitinho. Não é nada extraordinário, não é ambicioso, mas o bom trabalho da direção de Guillermo Del Toro eleva a película para algo mais. O filme revela que Del Toro tinha competência e qualidade de diretores Hollywoodiano. Foi um bom início de carreira.

Nota (0-10): 7

TRAILER



CURIOSIDADES:

- O filme custou 2 milhões de dólares, meio milhão a mais do que o programado. Del Toro teve que fazer empréstimos em bancos para conseguir finalizar o longa. Para ajudar, o ator  Ron Perlma aceitou ter o salário reduzido e desde então Del Toro e ele são bons amigos e sempre fazem parcerias.

- Os aparelhos cronos feitos para o filme foram todos roubados assim que a produção terminou e nunca foram recuperados. O aparelho que Del Toro tem hoje em dia é uma replica

- Os animatrônicos e efeitos especiais foram produzidos pela própria companhia de Del Toro, Necropia, que não existe mais, mas durou 15 anos.

- O diretor Guillermo Del Toro faz uma aparição no começo do filme passeando com a esposa e um cachorro em frente a loja de Jesus.

- Embora não tenha criaturas com olhos no lugar errado e tiques nas mãos, outras marcas registradas de Del Toro aparecem: baratas (na estátua do anjo e no cronos) e engrenagens (cenas internas do cronos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.