6 de nov de 2013

Confiar (Trust)

Título no Brasil: Confiar
Título Original: Trust
País de Origem: EUA
Gênero: Suspense
Classificação etária: 14 anos
Tempo de Duração: 106 minutos
Ano de Lançamento: 2010
Estreia no Brasil: 23/09/2011
Estúdio/Distrib.: Imagem Filmes
Direção: David Schwimmer

Elenco: Clive Owen (Will), Catherine Keener (Lynn), Liana Liberato (Annie), Jason Clarke (Doug Tate), Viola Davis (Gail Friedman), Chris Henry Coffey (Charlie / Graham Weston), Spencer Curnutt (Peter), Aislinn DeButch (Katie), Noah Emmerich (Al Hart), Olivia Wickline (Louise), [+].

Sinopse

Após pensar muito Will (Clive Owen) e Lynn (Catherine Keener) resolvem presentear sua filha Annie (Liana Liberato) com um computador. O casal está convencido de que havia criado seus três filhos em um ambiente aberto e saudável e que já poderia confiar em Annie. Annie então faz um novo amigo pela internet - um garoto de 16 anos chamado Charlie que ela conheceu num chat de relacionamento. Quando Annie e Charlei marcam um encontro, sem que os pais dela saibam, o que acontecerá em apenas 24 horas irá mudar a família para sempre.

Vai Lendo!

Confiar não é um filme porco, no sentido de que ele não tem uma produção tosca, atuações toscas e por aí vai. A produção é boa, a trama é envolvente, as sequências são até interessantes (apesar de se tornar um pouco cansativa em alguns momentos), os atores são bons e é de fato um filme legal. Ele não é uma mega produção, não tem as melhores atuações do universo e não veio de forma alguma para ter um status de cult. Confiar é apenas um bom filme de drama que serve principalmente como um alerta aos pais. Sim: aos pais e não aos adolescentes. 

Acredito que muitos adolescentes que verem esse filme não irão compreender totalmente. Por acaso uma criança entenderia um filme que fala sobre a infância, suas fases, descobertas, mudanças e afins? O mesmo ocorre com essa obra. Como um adolescente conseguiria entender esse filme se o que foi abordado nele se trata justamente do comportamento do próprio adolescente? É meio complicado. Alguns conseguem, no entanto, a maioria não (mesmo teimando que sim). 

Na trama, conhecemos Annie (Liana Liberato) a típica adolescente que faz de tudo para se enturmar com certos grupos, se tornar popular e acha que entende muito sobre tudo, que seus pais não tem razão de nada, que a vida é dela e ela sabe o que faz. Comportamento perfeito para resultar em merda. E resultou. 


Vi muitos rapazes comentando que a menina foi burra, que isso não existe e blábláblá. Rapazes, sou menina e conheço bem esse universo feminino e digo: o que mais tem é guria assim. Inclusive da mesma idade (14 anos). Lembro-me de que nesta idade, a maioria das minhas amigas e colegas queriam ser mulheres adultas. Hoje, claro, se fazem todas de santas e dizem que com 12, 13 anos estavam brincando de boneca. Mentira! Com 10, 11 anos a maioria estava preocupada em ter o primeiro beijo e arranjar um namorado mais velho que elas (geralmente com mais de 16 anos). Tinham meninas de 11 que ficavam com caras de 21. E achavam isso o máximo, pois se consideravam mais adultas por isso enquanto eu as considerava apenas mais idiotas.

E apesar de toda pose de adultas e até saberem de muita coisa, querendo ou não, você não é adulto até seus 21 anos e tem gente que não vai ser adulto nunca . Garotas de 13, 14 anos então, por mais que conheçam muitas coisas desse mundão louco aí fora, não possuem quase nada de experiência de vida e por isso são geralmente bem mais ingênuas e imaturas. É aquela coisa: enquanto a  guria está se achando por ter um namorado mais velho, o cara está feliz da vida por estar conseguindo se aproveitar sempre que possível da menina boba. 


E nesse filme a coisa não é diferente: Annie acha que sabe perfeitamente o que está fazendo, idealiza um romance que não existe de maneira alguma, acredita que estar com um cara bem mais velho é sinal de maturidade e que os pais querem atrapalhar a vidinha dela porque está dando tudo certo e ela está sendo adulta. Como uma típica adolescente, por insegurança e medo, ela vai tomando uma decisão pior do que a outra.

Tem muita menina que também fica com graça na internet, achando que lá estão seguras e que são espertas o suficiente para não caírem em nenhuma cilada. Quanto mais forte é essa falsa confiança, mais a adolescente tende a se enrolar. Particularmente, não me parece nenhum pouco legal e seguro crianças de até 12 anos terem contas em redes sociais. Até os 16, tanto garotos quanto garotas devem ser supervisionados sim. Internet não é brincadeira, rede social não é The Sims. É vida real minha gente! Uma informação a mais, uma foto que não deveria estar lá, uma frase que não deveria ser escrita, um contato que não deveria ter existido, coisas simples assim já são o suficiente para uma abertura imensa de coisas muito ruins. E apesar de não vermos as estatísticas nos jornais, com a facilidade do anonimato na internet você acredita mesmo que a pedofilia não role solta por aí? A coisa deve ser bem feia...


O mais interessante nesse filme é o fato dele ser bem realístico em todos os aspectos. Tem muita guria que age igual a Annie sim, tem muitos pais que nem supervisionam as atividades dos filhos no computador e tem muito vagabundo se aproveitando disso tudo. O jeito que o pedófilo age no filme ficou bem verossímil. Um cara agindo daquele jeito (como muitos devem fazer), sem dúvidas consegue o que ele quer.

Recomento portanto Confiar aos pais e que estes assistam esse filme com bom senso, pé no chão e um pingo de inteligência. Não é só ficção não. Não é histórinha para você assistir, ficar assustadinho e depois ficar de boa. Na internet, muita coisa pode acontecer. Até adultos caem em ciladas semelhantes!


Claro, não estou com isso querendo ser pessimista e "oooh, Meu Deus, internet é coisa do capiroto!". Claro que não. Com bom senso e cuidado dá para aprender e realizar muitas coisas legais online. Dá para se divertir, adquirir conhecimento, manter bons contatos e por aí vai. No entanto, crianças e adolescentes ainda não possuem um certo discernimento, certas vivências e cuidados. Cabe ao adulto estar por perto para garantir que nada de ruim aconteça. Não só em relação a pedofilia: tem muitos casos de cyberbullying que resultam em suicídio, informações confidenciais da família que podem rolar soltas na rede, fotos constrangedoras e mais um bando de coisas que todos nós estamos cansados de ver por aí. Como um filme que possui a intenção de alertar sobre a pedofilia online, Confiar não deixou a desejar.

Nota (0-10): 8

TRAILER


UM POUCO MAIS SOBRE O FILME (CONTÉM SPOILER!)

- Vi no Youtube e em outras redes sociais a galerinha comentando o quanto a menina é burra, ela queria aquilo e tal. Veja bem, a menina do filme é uma jovenzinha de apenas 14 anos. No início é bem destacado o quanto ela não é, vamos dizer, "vagaba" quanto as outras meninas. Enquanto as outras são bem safadas, ela é mais "ingenua" (porque ela só tem 14 anos oras!). Mas ela não é de todo bobinha assim. É claro que ela sabe várias coisas, como várias meninas da idade dela. Até que ela começa a achar (como muitas meninas na idade dela) que para ser mais adulta tem que fazer certas coisas (no caso, se portar como as vagabinhas da escola dela).

Sim, ela sabia que o cara era mais velho, ela sabia que não deveria sair com ele, ela sabia muito bem o que os dois fizeram, mas não entendeu a gravidade daquilo. Por que é o que disse: adolescente acha que sabe muito e que sabem o que estão fazendo, mas não conseguem ter noção da gravidade e importância dos seus atos, assim como de suas consequências. Eles pensam no aqui e agora, ainda mais a geração de hoje. Vivem apenas do presente e se esquecem que ainda possuem um longo caminho pela frente e que esse caminho vai depender em muito das escolhas feitas no aqui e agora e que, portanto, essas escolhas devem ser bem pensadas. 

- Ao contrário do que vemos em noticiários onde se tem um pedófilo horroroso, burro e que sequestra, abusa, bate e depois mata, nesse filme é mostrado outro tipo de pedófilo: o sedutor. Ele consegue ter as mesmas conversas que ela, ele finge entender ela, a trata como amiga, vai aos poucos ganhando a confiança da menina até conseguir o que queria. Ela se apaixona por ele e confia nele, pois ele a seduziu completamente, ele havia sido o sonho idealizado de garotinha dela: um cara mais velho (que para ela lhe atribuía o status de madura), inteligente, bonito, independente, fazia diversas promessas e dizia coisas lindas, que toda garota sonha em ouvir. Esse grau de sedução e essa confiança por parte da vítima é a porta de entrada para esses tipos de pedófilos.

- Sobre o cara não ter sido pego no final: e você acha que todos os pedófilos são presos? O filme é para ser realista e não Disney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.