2 de out de 2013

Um Litro de Lágrimas (Ichi Rittoru no Namida)

Hoje falarei um pouco sobre um dorama (novelas orientais) muito lindo que conheci em 2007: Ichi Rittoru no Namida (Um Litro de Lágrimas)Leia essa crítica e depois assista esse dorama, você não irá se arrepender!


Ichi Rittoru no Namida é um Jdrama (dorama japonês) da Fuji Television exibido no Japão entre 11 de Outubro de 2005 até 20 de Dezembro do mesmo ano, tendo ao todo 11 episódios com 40 e poucos minutos cada um. Na história, Ikeuchi Aya é uma adolescente de 15 anos que após muitos esforços consegue entrar para o ensino médio de uma das melhores escolas da cidade (e do Japão), a Higashi High School. A garota pertence a uma família simples que é dona de uma loja de tofu comandada pelo pai e todos tem obrigação de ajudar. A mãe é higienista e os três irmãos mais novos apenas estudam. Todos ficam imensamente felizes quando a Aya consegue entrar para essa tal escola, já que seria uma grande oportunidade para a garota crescer na vida.

Aya também fica muito feliz, é claro! Jovem, cheia de vida e planos para o futuro, adora praticar esportes (principalmente basquete), estudar e é extremamente esforçada. Conseguir entrar na Escola Higashi foi um sonho realizado. Está tudo perfeito, tudo saindo como planejado! Até que certas coisas "estranhas" começam a acontecer com a garota: a vista embaralha de vez em quando, desequilibra muito fácil, toma tombos frequentes e se sente um pouco mais cansada que o normal. Aya não liga, pois acha que se trata da mudança de escola e dos esforços com os estudos e a loja de tofu, porém a mãe desconfia e rapidamente a leva num médico. Com os exames realizados, não restou dúvidas: Aya tem uma doença progressiva, debilitante e incurável, chamada degeneração espinocerebelar.

 
Após a primeira visita ao médico Aya-chan passa então a escrever tudo o que ocorre com ela e com o seu corpo  num diário. Inicia aí toda uma bela história de luta contra a doença, uma luta para viver! Primeiro é a aceitação da doença, depois enfrentar os problemas e debilitações da mesma, enfrentar também o preconceito das outras pessoas e o próprio preconceito. É toda uma situação que nos faz pensarmos em muitas questões sobre nossas próprias vidas, sobre as coisas que damos importância demais e não deveria ser assim (e vice-versa) e como é bom ser saudável, mas melhor ainda é dar valor a isso.

Nada disso te chamou atenção? Acha que é só mais um draminha qualquer? Bom, o diferencial desse dorama é que ele foi baseado numa história real! Nos anos 70, uma jovem menina de apenas 14 anos chamada Aya Kito descobriu ter a terrível doença. Ela começou a escrever num diário tudo o que se passava (por indicação do médico, para ir avaliando a qual velocidade a doença progredia, tendo em vista que a coordenação motora era uma das primeiras a ser afetada e a mais perceptível) e escreveu quase até o fim de sua vida. Aya morreu aos 25 anos, completamente debilitada: não se movimentava, não falava, mal enxergava e não conseguia nem engolir comida. O mais terrível da doença é que ela debilita aos poucos a pessoa e não afeta o intelecto, ou seja: a pessoa tem plena consciência de tudo o que está acontecendo com ela, sabe que não poderá mais se movimentar e que morrerá pela doença, pois não há cura.   

Verdadeira Aya. Uma pessoa maravilhosa que só pensava em fazer bem aos outros até o final de sua vida. 

Aí você se pergunta, "então o dorama é só sobre a desgraça que ocorreu na vida da menina"? Não. Pelo contrário: é sobre dar valor a vida. O diário da Aya Kito virou livro e começou a ser vendido no Japão após a sua morte. Além de relatar seu sofrimento, a garota escrevia belas frases de encorajamento. Se mostrou ser muito forte, apesar de tudo o que acontecia e suas palavras comoveram todo o país. O livro vendeu cerca 1,8 milhão de cópias no Japão inteiro e muita gente que estava desistindo da vida pela mesma doença ou por outros problemas (gente pensando até em suicídio), acabaram desistindo da ideia e agradecendo profundamente a Aya pela bela lição de força e perseverança. 

Se você não é extremamente imaturo e tem um pingo de inteligência emocional, assista e conseguirá tirar muita coisa boa para a sua vida. As vezes quando estou triste assisto esse dorama, pois me dá uma certa força e me faz enxergar a vida de forma mais bonita. Percebo que a maioria das pessoas ao meu redor tem uma visão muito distorcida ou cinzenta da vida... como se não houvesse coisas e pessoas boas. Está aí a Aya Kito para provar que a vida poder ser boa sim, que o mundo não é podre (o problema é as pessoas e não o mundo) e que, apesar de tudo, existe sim pessoas boas. 

Assista esse vídeo

E olha, nunca fui de chorar com filmes, músicas e nem nada do tipo. Todos os filmes que o povo chorava até, não derramava um pingo de lágrima. Nunca fui de ser melosa para filmes e chorar como aquelas teenagers que se derreteram todas com Titanic. Mas posso afirmar: chorei mesmo um litro de lágrimas com esse dorama e com a história dessa menina.

Nota (0 a 10): 10!

Sangatsu no Kokonoka:


Recomendo que você busque por outras músicas do Remioromen, como Sakura e Motto Tooku e, entre outras.

Dica: o diário da Aya foi finalmente traduzido para o português e lançado esse ano aqui no Brasil pela Editora New Pop. Recomendo que compre, é maravilhoso (sem falar que veio com algumas fotos da Aya e a capa é muito bonitinha). Comprei ele no Sogo Plaza na Liberdade, em São Paulo. Mas agora já tem a venda na internet, encontrei na Saraiva e deve ter em outras livrarias online também. Em breve escrevo sobre o livro aqui! xD Há também um filme lançado um pouco antes do dorama. Também logo irei falar sobre ele no VA.

Um trecho do diário da Aya, quando teve que sair do colégio que tanto gostava, pois já era hora de ir para uma escola especial para deficientes:

"Faltam quatro dias até o fim das aulas.
Parece que por minha causa,
todos estão segurando mil garças de papéis.
A imagem deles segurando-os com tanto esforço,
Guardarei no fundo dos meus olhos,
Para que eu nunca esqueça, mesmo estando separados.
Mas...
Eu queria que dissessem:
'Aya-chan, não vá'."

"Foi preciso 1 litro de lágrimas."



O que tem demais em cair? Você pode se levantar de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.