24 de set de 2013

Dexter 8ª temporada: WTF!?

Terminei de ver agora o último episódio de Dexter e nem sei ao certo por onde começar essa crítica. Bom, para começo de história acompanho Dexter desde 2011 e gostava muito da série. Tanto que a música tema de abertura da série foi meu toque de celular de 2011 até semana passada. Apesar da 2ª temporada ter sido tosca e a 3ª chata, depois da excelente 4ª temporada resolvi continuar acompanhando a história desse psicopata, pois achava que o final poderia ser muito interessante. E não foi. 

ATENÇÃO: O TEXTO ABAIXO CONTÉM MUITOS SPOILERS!


PREVISÍVEL: Não sou daquelas que dizem "aah, sabia que isso ia acontecer", depois que já aconteceu. Não me acho guru e nem nada assim. No entanto, acredito que não precisa ser vidente ou ter poderes sobrenaturais para sacar certas coisas de certos seriados. Coisas aliás, tão evidentes. No início da temporada do Bay Harbor Butcher o sargento Doakes estava enchendo o saco demais, logo de início. Então pensei e cheguei a falar com pessoas próximas: "Quer ver, tão mostrando demais ele e toda temporada alguém tem que morrer como clímax daquela temporada e gancho para próxima. Doakes vai morrer no final". E morreu. Com a vampirona da Lila também pensei de forma parecida: "Assim como Doakes, Lila sabe que Dexter é um serial killer. Essa ponta não pode ficar solta. Ela vai morrer". E morreu.

Na quarta temporada foi a mesma coisa: a Rita estava enchendo muito o saco e mais uma vez pensei "Essa mulher vai morrer no final dessa temporada". E morreu. Na sétima, Laguerta estava próxima de descobrir que Dexter era o Bay Harbor Butcher. E lógico que fizeram isso acontecer, pois perceberam o tanto que o caso do Doakes ficou tosco, o tanto de furos no roteiro e aí quiseram consertar, fazendo Laguerta descobrir furos na história que eram gritantes para qualquer um. Cheguei até a comentar na página oficial da série no Facebook: "Todos que descobrem que Dexter é um serial killer morrem. Laguerta vai morrer". E morreu. Nessa altura do campeonato eu já estava ficando de saco cheio! Meu, tá tão na cara isso! Tenho certeza que não foi só eu que pensei assim.

Aí chega nessa 8ª temporada se arrastando como uma baleia encalhada na praia. Deb já era uma personagem forte e minha favorita. Logo de início ela se mostra um problema para Dexter e notei que a série tomou um rumo que considerei absurdo: Dexter é o certo, Debra a errada. Quando percebi, para minha desagradável surpresa, que essa linha de raciocínio foi implantada descaradamente no roteiro, logo disse: "A Debra vai morrer". Falei isso para minha irmã e amigos, torcendo muito para estar completamente errada. E não estava. Pela Debra, só digo: WHAT THE FUCK! FUCK DEXTER, MOTHERFUCKER! FUCK THIS SHIT! 


... Poderiam ter sido menos óbvios? O que custava matar o Dexter ou a Hannah (famosa quem) ou o Harrison! Matasse qualquer um, menos a Debra! A morte dos outros dois afetariam Dexter da mesma forma e era muito menos óbvio. E ainda temos que ficar com pena do Dexter? Ele matou direta e indiretamente inocentes, mentiu, enganou e fez mais um bando de coisas ruins. Sério que tínhamos que ficar com pena dele? WTF? E a Hannah, outra assassina, também saiu de boa? Ok, muitos assassinos nunca são pegos. Mas poxa, bolassem outra coisa em vez de matar a melhor personagem da série! Não por pena dela, mas porque isso era o esperado!

Ah, isso que não falei da Vogel! Minha esperança era de que ela aparecesse na série e aos poucos fosse descobrindo o que Dexter era e assim ter toda uma intriga entre os dois, onde no final um ou outro morresse ou alguém fosse preso, alguém ressuscitasse, qualquer coisa! Juro que cheguei a falar: "Quer ver, só falta essa Vogel ser toda fãzinha do Dexter e querer ajudar ele". Meu, na hora que vi que também havia acertado essa, parei de ver a série por um mês. Por que diabos Dexter, que era uma série ótima, se tornou tão fraca e absurdamente previsível!?

Até a Debra cansou.

LOIRA FATAL: Hannah está lá brincando de esconde-esconde com a polícia, agentes federais, exercito, CIA, CSI, NASA e anda por aí com um vestido rosa choque coladinho no corpo, cabelo loirão ao vento e ainda para na porta do carro para bater um papo com o Dexter? Sério, nunca vi uma foragida tão em clima de carnaval. Só faltou se inspirar em algum modelito da Lady Gaga e ir fazer compras no shopping. E ninguém pegou ela. Mas acham ela dentro de um ônibus que saiu de última hora da cidade junto com outros vários ônibus, lotados de pessoas. Interessante.

UM AMOR PARA RECORDAR: Na primeira temporada Dexter era um assassino que aos olhos das outras pessoas não levantava a mínima suspeita. Carismático com todos, sempre calmo, sempre atencioso, até levava rosquinhas para os colegas policiais! Acima de qualquer suspeita, assim como os sociopatas da vida real. Sociopatas são teatrais, carismáticos, são aquelas pessoas que todo mundo gosta, ninguém suspeita, que estão sempre tranquilos e aparentemente não fazem nada de errado. Mas na verdade são excelentes manipuladores, mentirosos ao extremo, não se sentem culpados por nada (ausência de culpa) e não possuem sentimentos como amor ou raiva. Podem até ter esses sentimentos, mas nunca tão intensos ou verdadeiros. Eles agem em benefício próprio e geralmente não possuem motivos para fazer as coisas ruins que fazem. "O motivo é que não há motivo, esse é o motivo", já dizia o Kevin do Precisamos Falar Sobre Kevin. É uma condição complicada que até hoje a medicina não dá conta de explicar exatamente a causa. Não se sabe nos mínimos detalhes como o cérebro de pessoas assim funciona. A única coisa que se sabe é que não há cura e o tratamento para a sociopatia (o controle dos impulsos e tal) dificilmente traz resultados significantes.

Dos estúdios Disney: "Dexter e Hannah, um amor de verão!"

Fiel ao livro, a primeira temporada seguiu a risca essas características, geralmente desconhecida por muitas pessoas. Porém, da segunda temporada em diante, Dexter começou a ser nervosinho, irritado, sentindo muita raiva de tudo e por fim, passou a amar como um adolescente de 16 anos. Só faltou escrever poemas românticos góticos  num blog com fundo preto respingado de manchas vermelhas de sangue e no cabeçalho uma silhueta feminina com asas de anjo. O título certamente seria: "O Anjo Sangrento" (ou qualquer coisa tosca assim). Me disseram que Dexter foi "humanizando aos poucos". Que mané aos poucos, logo no início da segunda temporada Dexter já era um cara todo esquentadinho! E foi piorando drasticamente, nos fazendo questionar ainda na 4ª temporada: "Como esse cara ainda não foi pego?".

Depois ele ama a Lumen, depois a Hannah. Hannah e ele se amam. Dois sociopatas, que matam friamente pessoas, enganam todo mundo e não tão nem aí pra ninguém a não ser eles mesmos, simplesmente "puft!", se amam assim? Que necessidade esquisita os roteiristas e criadores da série tem de fazer com que Dexter tenha uma mulher. Entendiamos a Rita, era um disfarce. Mas Lumen? Hannah? Já não foi amor demais não? Lembrando que sociopatia não tem cura! Já é difícil controlar os impulsos com um tratamento forte, imagina sem tratamento algum? Dexter foi humanizando? Sério? Ok, ele se importar um pouco com a irmã e filho dele. Mas com outras pessoas, complicado.

Desculpa Lumen intestinal, mas Dexter precisava de uma loira mais bonita.

AMIGAS PARA SEEEMPRE! Dexter faz Debra matar Laguerta, ferrando assim sua carreira na polícia (que só para lembrar: estava cada vez melhor!) e também sua estabilidade emocional. Debra se ferra como nunca. Mas nããão, ela é a culpada. O irmão assassino não tem culpa de nada. Debra escolheu matar, Debra não deveria ter se importado tanto assim por matar alguém, não precisava ter sido "tão sensível". Deb passa a temporada toda tentando se recompor enquanto Dexter abusa da estabilidade emocional, da boa vontade e paciência da irmã. E sim, ele fez tudo isso, porém a série queria que considerássemos que ele estava correto. Eu não considero! Depois do tanto que ele ferrou a Debra, ele ainda pede para que: Debra aprove ele e Hannah, que não a denuncie, em seguida que esconda Hanna em sua casa (WTF!!?!?!) e por fim, acredite: que Debra largue a mão de ser chata e fique amiga de Hannah! WTF!?!? E Debra fica amiga! 

Uma bela amizade começa assim.

Como assim meu povo!? Cadê a coerência nisso? Por que Debra aceitaria Hannah em sua casa depois de tudo o que aconteceu? Caramba, a Hannah quase matou a Debra! Por muito menos que isso mulheres já viram inimigas mortais (sério, muito menos). E a Debra ainda morre no final enquanto a Hannah fica viva realizando seu sonho de viver na Argentina. HAHAHA

É do Lost, mas cai bem para essa última temporada de Dexter.

DEIXADO PARA TRÁS: Oliver Saxon/Daniel Vogel era um excelente psicopata! Sério, o ator foi ótimo, assim como seu papel. Infelizmente o utilizaram apenas nos episódios finais, de forma tosca e corrida, como que se estivessem desesperados para consertar os erros e furos no roteiro. O cara iria arrasar nessa temporada! Se o roteiro fosse bem feito, ele poderia ser tão bom quanto o Trinity foi na quarta e a série encerraria em alto nível. Mas não, o cara apareceu, causou, morreu. Tudo isso mais rápido que o crescimento inexplicável do Harrison. 

UM AMOR PARA RECORDAR 2: Quando você até tinha esquecido que Quinn e Debra já tinham namorado e que Deb rejeitou o pedido de casamento dele, do nada, DO NADA MESMO, os dois decidem que se amam. Sério, Quinn não era apaixonado pela stripper lá? E Debra já até não tinha esquecido dele? Ok, Quinn saiu arrasado com o término do relacionamento, porém Debra não estava nem aí. E por favor, o namoro deles nem foi tão intenso quanto foi o da própria Debra com o Lundy na segunda/quarta temporada. A impressão que ficou (e acredito não estar enganada) é de que arrumaram essa historinha de amor no final apenas para que a morte da Deb ficasse mais emocionante. E não ficou. 

AAAAH essa série já tá sem sentido.

Dexter mais sentimentalista que uma mulher grávida, Hannah musa do verão, Deb sendo crucificada por ser uma boa pessoa, Harrison gigante, Vogel tiete, Saxon "serial killer remenda", Masuka e sua filha que ninguém descobriu porque isso ganhou tanto destaque e a volta improvável de Deb e Quinn.

Que temporada foi essa!? Que final foi esse!?


Nota para essa temporada final? Uns 4 pela produção e uma ou outra cena legalzinha. Dexter poderia ter feito bonito e acabado na 5ª temporada. 

5 comentários:

  1. Não assisti Dexter, mas pelo que li por aí, a série deveria ter parado na 4ª temporada, pois foi a melhor de todas...

    Deste tipo de caso eu entendo, pois com Supernatural está acontecendo exatamente o mesmo: até a quinta temporada, que foi o auge, a série foi perfeita! E digo mais: completa. Não precisava, em absoluto, de continuação.

    Atualmente, nem sei a que temporada já chegou, pois parei na metade da sétima, com muito tédio, desânimo e sem nem mesmo entender onde estavam tentando chegar com a história... pois cada episódio era pior que o outro! :P

    ResponderExcluir
  2. "Sério, nunca vi uma foragida tão em clima de carnaval." não conheço outra frase que defina melhor a situação da Hanna. Excelente!

    "Só faltou escrever poemas românticos góticos num blog com fundo preto respingado de manchas vermelhas de sangue e no cabeçalho uma silhueta feminina com asas de anjo. " HAHAHHAHAHAHAHA acabou com a raça do sujeito!

    "Tudo isso mais rápido que o crescimento inexplicável do Harrison" gente, o menino tomou 2 potes de fermento, tá tudo bem agora.

    O Saxon poderia ter sido o assassino do Dexter! Seria ótimo alguém mais forte estar aí à solta, enquanto o vulgo anjo da guarda morria na vida q ele mesma fez para ele.

    Ótima crítica, realmente a série terminou um lixo mesmo =/

    ResponderExcluir
  3. Até a quarta foi muito legal.Isso de ser previsível é normal, afinal, tudo já foi feito antes trezentas vezes, só gente que nasceu ontem não consegue prever os roteiros de filmes e seriados. Mas esse roteiro tosco de novela de Globo (dos irmãos que quase chegam ao incesto é novidade) para um seriado.Quem teve esse ideia ridícula?Os chefes illuminatis pedófilos de Hollywood?Deve ser, já que encheram o seriado de símbolos ocultistas também.Agora a maior vilã de todas é a psiquiatra da Deb, nível Hanibal de maldade e manipulação, se a Vogel controlou uma psicopata, a psiquiatra da Deb criou uma do nada.

    ResponderExcluir
  4. primeiro que n assistiu n pode ta tirando conclusoes pelos conceitos dos outros e dexter foi a melhor serie que ja teve e ao me ver ela quis explicar que psicopatas tem cura o fato e que ninguem os compreendem .

    ResponderExcluir
  5. Como diria a Deb..: "Porra de final fudido do caralho!" Deveriam ter deixado a Hanna na cadeia ou foragida mesmo, mas sem voltar para a série. Nada a ver esse AMOR todo repentinamente. Química??!! Sério isso??!! Deveriam tbm ter colocado o Saxon como destaque desde o início da temporada e terminado a série com ele matando o Dexter, mostrando, com isso, que o"mar" é grande e tem sempre peixes maiores. Eu tbm adorava a Deb e não queria que ela tivesse morrido, ainda mais do jeito que morreu. Ela deveria ter sobrevido e ficado com a guardo Harryson.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.