24 de abr de 2013

O Segredo da Cabana (The Cabin in the Woods)

Título no Brasil: O Segredo da Cabana
Título Original: The Cabin in the Woods
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Classificação etária: 16 anos
Tempo de Duração: 95 minutos
Ano de Lançamento: 2011
Estúdio/Distrib.: Universal Pictures
Direção: Drew Goddard

Sinopse e elenco: 

Cinco amigos vão a uma cabana afastada e coisas ruins acontecem. Se você pensa que já conhecem esta história, pense novamente. Dos favoritos dos fãs Joss Whedon (Os vingadores, Serenity - A luta pelo amanhã, seriado Buffy a caça vampiros, da TV) e Drew Goddard (Cloverfield o Montro) chega O segredo da Cabana, que vira o gênero pelo avesso. Produzido por Whedon e Dirigido por Goddard, com roteiro de ambos, o filme é estrelado por Kristen Connolly, Chris Hemsworth (Os vingadores, Branca de neve e o caçador) Anna Hutchinson, Fran Kranz (seriado Dollhouse, da TV), Jesse Williams (seriado Grey's Anatomy, da TV), Richard Jenkins (Queime depois de ler) e Bradley Whitford (seriado The West Wing, Parks and Recreation, da TV).

Vai Lendo!

AVISO: LEIA toda a crítica e procure ENTENDER BEM esse filme antes de tecer comentários ridículos!
Obrigada pela atenção. Fique agora com a crítica. :D

Há tempos que vejo o povo falar sobre esse filme, no entanto nunca tive curiosidade de assistir. Acredito que nem vi o trailer completo. Sei lá, imaginei que se tratava de mais um filme sobre jovens sendo assassinados por algum assassino doidão. E o filme é isso, mas não é. É suspense, sem ser. É terror, menos terror, mais terror. Confuso? Pois então, é exatamente assim que você ficará após assistir O Segredo da Cabana, que só para constar: é muito legal!

O bonitão, a loira burra e assanhada, o "nerd", o "noiado" e a virgem será? Esses são os ingredientes mais comuns de que gênero cinematográfico mesmo...?

Vi muita gente  falando que ao começar a ver o filme, esperava que fosse bem clichezão. Não sei mesmo porque pensaram dessa forma, tendo em vista que o filme é diferente desde o início! Ao começar pela abertura, que se inicia “macabra”, igualzinha a de muitos outros filmes de terror, com imagens estranhas, sangue e toda aquela trilha sonora, e de repente é cortada para dar espaço a dois funcionários de alguma empresa qualquer, conversando sobre mulheres e a vida. E nesse cenário que aparece o título do filme, em vermelho, junto de uma trilha sonora tenebrosa. Assim... WTF? O que tem de tenebroso em dois funcionários conversando? Para os melhores entendedores, basta esta abertura para sacar que o filme será beeem diferente! A confirmação vem quando os jovens saem de casa e tem um cara no telhado, ao estilo espião, dizendo que "o ninho está vazio".

Mas, afinal, O Segredo da Cabana é o que então? É simplesmente uma crítica ao cinema do terror e suspense e ao público desses gêneros. Do início ao fim, O Segredo da Cabana é uma bela e bem humorada crítica! E necessária também, pois já estamos saturados de filmes de terror que são praticamente todos iguais. Mudam uma coisinha aqui e outra ali, mas é tudo a mesma coisa (salvo raras exceções bacanas como Arrasta-me Para o Inferno e Silent Hill, por exemplo).


Começa-se a crítica pela abertura, que é igualzinha a de muitos outros filmes de terror lançados nos últimos anos. Depois conhecemos os personagens, totalmente estereotipados, até em seus figurinos: o bonitão fútil com o típico moleton de universidade, a loira estúpida e que veste roupas justas, o nerd bonitinho que é um bom rapaz e usa óculos, a suposta virgem comportada e o noiadão que só fala "nada com nada". E para onde esse grupo de jovens vão? Claro, para uma cabana velha no meio da floresta. Lá eles dançam, bebem, falam e fazem besteiras, pois afinal de contas, essa é a única coisa que os jovens fazem (segundo os filmes de terror). E adivinha quem será o primeiro a morrer? Se você já conhece bem os filmes de terror, já sabe quem...

Tudo, cada pontinha do filme é uma crítica! Uma das mais legais é em relação a ação inusitada dos jovens, como por exemplo, alguém decidir se separar quando todos poderiam ir juntos. Cara, quem na vida real pensaria numa coisa dessas? Por que os personagens dos filmes de terror tem que ser tão burros? O filme dá uma ótima explicação: só pode ser algum tipo de droga (só assim para agir de forma tão, tão estúpida). Outro comportamento interessante ocorre quando o resto do grupo decide seguir, sem nem questionar, as ordens do "macho alfa", no caso, o bonitão (que aliás, é outra crítica: o cara faz sociologia e é super inteligente, mas de repente passa a agir feito um imbecil que só se importa com seu próprio corpo). 


No final do post, deixarei outras explicações, se não acabarei dando muitos spoilers (leia se você já viu o filme!). Mas tenha em mente o seguinte: não o encare como sendo um filme de terror. O Segredo da Cabana é uma produção sobre os filmes de terror que critica o excesso de histórias recicladas desse gênero e que, apesar disso, também homenageia. Por isso muitos o consideraram um filme super inteligente. E ficou inteligente sim, além de super divertido.

As atuações são boas, mas não são lá grandes coisas. Talvez propositalmente. O CG do filme tem horas que deixa a desejar, porém não estraga a diversão. É um filme bem produzido, com uma trama até bem bolada. Infelizmente, o final deixou a desejar, poderia ser mais elaborado... Aí sim o filme ficaria ótimo!

Recomendo para os fãs de filmes de terror que já estão saturados das mesmas histórias de sempre. Recomendo para aqueles que gostam de pensar e que gostam de ideias diferentes. Não é, definitivamente, um filme para o povão que só se importa com efeitos visuais e a mesma história manjada de sempre. Eles irão achar o filme confuso e "muito ruim, muito lixo", como muitos dizem. O Segredo da Cabana não é super complexo, não é difícil de entender. Se você já sabe que é uma crítica, apenas aprecie. Tenho certeza de que irá gostar.

Encerrando com banhos de sangue e tripas o/

Se divirta também na tentativa de reconhecer as referências a diversos filmes famosos, como The Evil Dead, Hellraiser, The Ring, Anaconda, O Iluminado, Sexta-Feira 13, filmes de zumbis e lobisomens em geral e por aí vai. E também detectei uma outra referencia que não vi ser citada em outros lugares, porém acho que está certa, que seria em relação aos Mitos de Cthulhudo famoso escritor norte-americano H.P. Lovecraft (1890-1937). Falarei mais sobre logo abaixo.

Nota (0-10): 9 (Não dou essa nota pelo terror, porque esse é e não é o foco principal do filme. Mas pela criatividade e ousadia).

TRAILER


ALGUMAS EXPLICAÇÕES E CURIOSIDADES (CONTÉM SPOILERS!)

-  Outras produções cinematográficas bem conhecidas já abordaram também esse conceito, de crítica aos filmes dos gêneros terror e suspense, de forma humorada e irônica, repleta de referências. Bons exemplos disso são a série Todo Mundo Em Pânico (Scary Scream) e o Pânico (Scream), sendo que o último filme, Pânico 4 de 2011, foi o que mais abusou das críticas e referências.

- Trecho retirado do site Boca do Inferno: "A própria versão do título em português (O Segredo da Cabana) nos remete imediatamente a outros dois filmes importantes do gênero: Cabana do Inferno (2002), de Eli Roth e A Morte do Demônio, clássico absoluto entre filmes cujo cenário é uma cabana no meio de uma mata (sim, existem vários). Coincidentemente (e enganosamente), o título é também a junção de dois best sellers sucesso de vendas: O Segredo, de Rhonda Byrne e A Cabana, de William P. Young. Já o título original (The Cabin in The Woods) faz uma alusão direta ao predecessor de A Morte do Demônio dirigido por Sam Raimi em 1978, Within The Woods".

- No filme, parece que eles (americanos) estão em certa guerra com os japoneses (e os outros países já eram). Podemos interpretar isso como se apenas os EUA e Japão produzissem filmes bons de terror e que os dois vivem numa constante disputa: americanos com seu banho de sangue e japoneses com seus espíritos vingativos. E não é assim que está acontecendo?

- Uma das capas do filme foi claramente inspirada na famosa obra Relativity de 1953 do artista gráfico M.C. Escher, um holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons, que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes (Trecho retirado do Wikipédia). O que nos sugere que o filme pode ser encarado por diferentes pontos de vista e pode render diversas e diferentes interpretações.

Clique para ampliar

- Na história, ficamos sabendo dos tais Deuses ou Ancestrais (Antigos...algo do tipo), que são seres muito antigos que viveram na terra muito tempo antes de nossa existência e que estes deuses poderiam acabar com a vida humana na terra. Lembrei na hora do livro que estou lendo, Histórias de Horror: O Mito de Cthulho, por H.P. Lovecraft. Confira um dos trechos: "Tinha havido eras em que outros Seres governaram a Terra, e Eles haviam sido detentores de grandiosas cidades. Vestígios d'Eles, segundo os imortais chineses lhe haviam relatado, ainda podiam ser encontrados na forma de pedras ciclópicas nas ihas do Pacífico. Todos eles haviam morrido em épocas imensamente anteriores à chegada da humanidade..." e depois "Eles não podiam viver. Mas embora Eles não vivessem mais, Eles nunca podiam morrer realmente. Todos jaziam em moradas de pedra em Sua grandiosa cidade de R'lyeh, preservada pela magia do poderoso Cthulhu, para uma grandiosa ressurreição quando os astros e a Terra estivessem mais uma vez prontos para eles" (Saiba, de forma breve, do que se trata os Mitos do Cthulhu clicando aqui e para se aprofundar um pouco mais no universo Lovecraft clique aqui).

Depois o livro cita que Eles (chamados também de Ancestrais/Magníficos Ancestrais/Grandes Antigos), reassumiriam o domínio da Terra quando a humanidade tivesse se tornado como os Grandes Magníficos, livres e selvagens, com a moralidade totalmente descartada e todos os homens gritando e matando e deleitando-se em alegria. E é isso que ocorre no filme: seres humanos assistindo alegremente outros seres humanos sendo cruelmente assassinados. É humano matando humanos (e ainda se divertem com isso!). No filme, é como se os tais Ancestrais se alimentassem dessa brutalidade humana (e havia todo um acordo subtendido entre eles e os humanos em relação a isso).

Há também os que consideram que os Ancestrais seriam uma alegoria a nós mesmos, espectadores. Afinal, queremos sempre ver os personagens se ferrando, nos "alimentamos" do sofrimento deles. Quanto mais mortes, melhor! Não é mesmo? No final do filme, os Ancestrais saem debaixo da terra e começam a destruição, pois não conseguiram o que queriam, o que deveria ter morrido não morreu. E não é que muitos fãs do gênero terror não ficam super bravos quando algum filme decide modificar algo na trama para sair do clichê? O povo reclama de finais mais felizes, de personagem que não morreu e deveriam ter morrido (ou vice-versa) e por aí vai...

- O filme abre espaço para muitas interpretações, como por exemplo: os dois funcionários espertalhões e a mulher, aquele ser que vive na sombra dos homens e, apesar de tentar mostrar seu valor e competência, é apenas ignorada. Talvez nos passando a ideia de que o público ou os produtores dos filmes de terror são machistas, já que parece que os filmes são dirigidos apenas ao público masculino (que odeia quando uma mulher dá opinião em filme de terror) e que atrizes em filmes de terror só servem de meros enfeites para atrair a macharada. Enfim, interprete da sua maneira, mas há sim outra crítica nesse pequeno núcleo.


- No filme, ironicamente o drogado é quem estava certo o tempo todo. Geralmente eles são um dos primeiros a morrerem (a primeira é sempre a loira safada) e se comportam feito idiotas. Nesse filme, o drogado tinha razão de tudo e conseguiu desvendar todo o segredo, além de ajudar a mocinha.

Deixo o resto das interpretações por conta de vocês leitores. Tem muita coisa mesmo para ser avaliada nesse filme, e para escrever tudo aqui, teria que ver o filme de novo e o post ficaria gigante. Não escrevi do modo que gostaria, ficou meio confuso... Possivelmente poderei voltar a editar essa postagem. De qualquer maneira, comente! Queremos a sua opinião a respeito desse filme!

2 comentários:

  1. Excelente critica . Já conferi e adorei o filme também, fiquei impressionado com ele. Esperava assistir a um filme divertido com jovens idiotas morrendo porém acabei me surpreendendo. Gostei de suas observações, tinham detalhes ali que não havia percebido e você me abriu novas perspectivas. Para mim o filme além de ser uma critica é uma grande homenagem a todo o gênero, em cada cantinho e em cada fala vemos algo vindo de algum clássico (alguns exemplos de filmes são: IT, The Rea-nimator, A Bolha e até Kill Bill) sendo que o principal de todos é Evil Dead. O filme foi todo e totalmente baseado em ED. Como por exemplo o porão abrindo sozinho, os cinco, o livro que desperta os demônios e uma das mais geniais para mim é quando os funcionários estão apostando, no quadro, atrás dele, podemos ler todos os tipos de monstros e em algum canto era possível observar: Deadites e Angry Molesting Tree. Parabéns pela critica Ninnie, ansioso pela do novo Evil Dead.

    ResponderExcluir
  2. Finalmente uma crítica com um ponto de vista crítico, acho que realmente quem gosta das mesmas coisas sempre não vai gostar do filme. Filme excelente ( e a crítica também XD )

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.