11 de fev de 2013

Um Clarão Nas Trevas (Wait Until Dark)

Título no Brasil: Um Clarão nas Trevas
Título Original: Wait Until Dark
País de Origem: EUA
Gênero: Suspense/Drama/Policial
Tempo de Duração: 108 minutos
Ano de Lançamento: 1967
Estúdio/Distrib.: Warner Home Video
Direção: Terence Young

Elenco:  

Alan Arkin (Roat / Roat Jr. / Roat Sr.) 
Audrey Hepburn (Susy Hendrix) 
Efrem Zimbalist Jr. (Sam Hendrix) 
Jack Weston (Carlino)
Julie Herrod (Gloria)
Richard Crenna (Mike Talman) 
Samantha Jones (I) (Lisa).

Sinopse: Uma boneca recheada de heroína é a razão desta trama que envolve Roat (Alan Arkin), um frio assassino psicopata, e Susy (Audrey Hepburn), uma moça que ficou cega e ainda não aprendeu a viver na escuridão. Seus caminhos se cruzam em uma noite de medo e agonia, onde a escuridão é a única chance de fuga para Susy.

Vai Lendo!

É comum ver pessoas jovens, e as vezes até mais velhas, que possuem um forte preconceito em relação a filmes produzidos antes de 1970. Alguns filmes se tornam mais conhecidos, viram até moda, mas nem por isso que todos caem de amores por filmes antigos. Claro, a qualidade técnica é bem diferente, já que hoje é utilizada muito mais tecnologias avançadas para a produção cinematográfica. Também temos a questão cultural, os costumes e tudo mais que eram bem diferentes naqueles tempos e que muitos jovens de hoje não conseguem compreender. Enfim, há de certa forma todo um mito de que filme antigo é chato e cansativo. Por ver tanta gente falando isso, comecei a pensar que talvez estivessem certas. Mas não estavam.

Cada caso é um caso, cada filme é um filme. Assim como hoje, naqueles tempos haviam filmes maravilhosos, bons, meia boca e péssimos. E também depende do gosto de cada pessoa e da capacidade de compreensão dela, pois ao assistir um filme antigo deve-se ter em mente que 1960, por exemplo, era bem diferente de 2013. Pois bem, comecei vendo um filme do início dos anos 60 e amei. Depois vi um dos anos 50, em preto e branco, e mais uma vez adorei. E depois disso não parei mais. É só escolher o filme que se adapta melhor ao meu gosto e pronto! Dane-se se é antigo, se está em preto e branco ou o que for. A produção cinematográfica daqueles tempos eram tão boas (e as vezes até melhor, em alguns aspectos...) do que as de hoje! Por isso, se você ainda possui algum resquício de preconceito em relação a filmes antigos, trate logo de parar com isso! xP E assista Wait Until Dark.


Wait Until Dark é um suspense de 67 dirigido por Terence Young (diretor dos filmes do 007 com Sean Conery), produzido por Mel Ferrer, e que tem como protagonista, nada mais nada menos, que a bela diva mor eterna Audrey Hepburn, que na época era esposa do Mel Ferrer.

Até então só tinha visto filmes de romance com a Audrey, o que esperar desse? Será que ela atuaria bem em um filme de suspense? Pois é, ela atuou. E super bem. Na trama ela é Susy, uma mulher cega e casada que tem sua casa atormentada por bandidos em busca de uma boneca recheada de drogas. Audrey convence como cega e consegue encaixar bem seu jeito romântico numa história que não possui romance algum. Audrey é Audrey. Mas, honestamente, prefiro vê-la num romance. :P


O começo do filme é interessante, porém lento. Até a coisa ficar legal mesmo, demora um pouco. A história se passa praticamente toda dentro de uma única casa, mas isso não chega a atrapalhar. Na verdade é notável terem conseguido fazer uma história legal que se passasse basicamente em apenas um cenário. O início é lento, mas depois nos prende de tal forma que não vemos a hora de tudo aquilo ali se resolver e a Susy poder ficar finalmente em paz!

Os bandidos são bem inteligentes e o plano deles foi bem elaborado, algo que me surpreendeu, pois imaginei que seria bem bobinho ou tosco por causa da época do filme. Grande engano meu. Também tem sequencias bem legais e elaboradas (que comentarei no final do post). O suspense é muito bom, tem até um pequeno susto em certa parte. hehehe Não é "ooh, um super suspense", mas agrada e é de certa forma bem tenso. Os atores que interpretaram os bandidos foram excelentes, não perdem em nada para muitos atores da atualidade que fizeram papéis semelhantes (na verdade são até melhores que muitos aí). A garotinha que interpretou a destemida Gloria também se saiu bem. Achei até muito legal colocarem uma criança na história, ainda fazendo um papel de alguém prestativa e corajosa.


A trilha sonora foi por conta do Henry Mancini, compositor famoso que ganhou 4 Oscars por Melhor Música/Canção Original com os filmes Victor ou Victoria (1982), Vício Maldito (1962) e Bonequinha de Luxo (1961), além de ganhar outras 16 premiações e 43 nomeações. No caso do Clarão nas Trevas, a trilha sonora não me chamou muita atenção. Mas é boa sim. Este é um dos quatro filmes em que a Audrey Hepburn atuou no qual Mancini foi o responsável pela trilha sonora. Os outros três filmes foram Breakfast at Tiffany's (Bonequinha de Luxo), Charade (Charada) e Two for the Road (Um Caminho Para Dois).

No geral, é um bom filme. Audrey foi nomeada ao Globo de Ouro e Oscar de 68 pela sua atuação nesse filme. Se você quer conhecer um suspense leve dos anos 60, aí está uma excelente dica!

Nota (0-10): 8,0


Chamou atenção (contém SPOILERS):
.
.

- Genial a tia Audrey quebrando as lampadas! Do tipo: "se eu não posso ver, vocês também não poderão!".

- Interessante  que não foi necessário mais do que 4 atores em cena para criar toda uma história de intrigas, mentiras e reviravoltas.

- Os caras achando que estavam enganando ela, mas não sabiam de que os outros sentidos dela eram muito aguçados, em especial a audição. Muito interessante isso e algo inteligente de se colocar num filme.


- Susy combinando com Gloria uma maneira de se comunicarem foi muito bacana! Mais uma vez: não é só porque o filme é antigo que não terá uma trama bem elaborada.

- O "pulo de jaguatirica" vai te dar um breve susto.

3 comentários:

  1. Gostaria de saber se ainda tem vagas para postadores no site? Gosto e admiro muito ele, se tiver me adicionem, e se não tiver do mesmo geito pois seria uma honra conhecer a dona e os outros membros... Facebook --> http://www.facebook.com/antonio.machado.585112

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Adoro filmes antigos de suspense e como assustavam! A cena do psicopata pulando sobre Audrey é de arrepiar! Hoje é tudo feito com muito barulho e parafernalia, que perde a graça!

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.