25 de nov de 2012

Possessão (The Possession)

Título no Brasil: Possessão
Título Original: The Possession
País de Origem: EUA / Canadá
Gênero: Terror
Classificação etária: 14 anos
Tempo de Duração: 92 minutos
Ano de Lançamento: 2012
Estréia no Brasil: 02/11/2012
Estúdio/Distrib.: Paris Filmes
Direção: Ole Bornedal

Elenco: Jeffrey Dean Morgan (Clyde), Natasha Calis (Em), Kyra Sedgwick (Stephanie), Jay Brazeau (Professor McMannis), Madison Davenport (Hannah), Matisyahu (Tzadok), Grant Show (Brett), Rob LaBelle (Russell), [+].

Sinopse: Clyde (Jeffrey Dean Morgan) e Stephanie Brenek (Kyra Sedgwick) estão separados, mas conseguem se relacionar para o bem das duas filhas do casal. Quando ele compra uma casa nova, sua filha mais nova Em (Natasha Calis) o convence a comprar algumas coisas para lá, entre elas, uma caixa de madeira muito bem trabalhada e ao mesmo tempo misteriosa, que não se pode abrir. Encantanda pelo artefato, a jovem descobre como se abre, passa a ouvir vozes e, em seguida, estranhos acontecimentos começam a acontecer na casa.

Vai Lendo!


Talvez o cinema da minha cidade é hipster e não aceita passar filmes muito mainstreams (pensando melhor, é o contrário...), talvez aqui é na verdade o fim do mundo (ou o mundo do fim :P), mas o fato é que Possessão veio estrear por aqui apenas na última sexta-feira (dia 23). Para mim já até tinha passado... que sorte né!? Minha cidade conta com apenas um cinema que fica no shopping e tem poucas salas, então geralmente dão preferência para filmes como Amanhecer, comédias e filmes brasileiros, do que para outros tipos de produções (em especial o terror). Tem vezes que filmes de terror ficam em cartaz apenas uma semana. Quando você resolve assistir, já passou. Por isso fui conferir assim que pude o The Possession, talvez semana que vem já não esteja mais em cartaz para dar espaço a mais uma sessão de Amanhecer (que ficaria então com "apenas" 6 sessões :B).

Ai nossa! Uma caixa macabra com escritos demoníacos na capa, limds d+! Vou levar!

Temos na direção desse filme Ole Bornedal e na produção Sam Raimi (e outros caras que ninguém cita porque já tem o Sam Raimi). Raimi, caso você não sabe ou não se lembre, dirigiu Arrasta-me Para O Inferno, trilogia Homem-Aranha, O Dom da Premonição e claro, a trilogia Evil Dead, entre outros filmes (e está na direção do filme Oz: Mágico e Poderoso e também do Poltergeist, que ainda nem tem data de estreia). Também esteve na produção de filmes como O Grito 1 e O Grito 2, O Pesadelo (lixinho), Os Mensageiros (fraquinho) e 30 Dias de Noite. Bem, já deu para entender que o cara tem um currículo bom em relação a produção e direção de filmes (em especial de terror e suspense), então quando vemos o nome dele em certos filmes, já sabemos o que podemos esperar: algo talvez surpreendente, talvez clichê, talvez fraco, talvez assustador, mas sem dúvidas bem feito. E é exatamente esse o jeito do Possessão: meio clichê, meio previsível, fraco em sustos, porém de fato bem produzido!

Jeffrey Dean Morgan (muitas vezes confundido com o ator Javier Bardem): um bom ator com uma boa atuação. Convenceu nesse filme.

O filme tem uma trilha sonora ótima. Consegue meter medo e dar sustos em cenas que não tem nada acontecendo. Ao contrário de outros filmes desse ano em que não souberam utilizar a trilha sonora (como A Entidade, que tem uma trilha sonora apenas bizarra), em Possessão o recurso se destaca e cria um ótimo suspense e talvez alguns bons sustos. Gostei muito dos efeitos sonoros, do clima tenso que ele proporciona... não é uma maravilha e nem super original, mas ficou muito legal. 

Vai ter muito barulho, prepare seus ouvidos!

As atuações também foram boas, convincentes. Se o propósito era fazer um pai triste e desesperado (Clyde), Jeffrey Dean Morgan (Watchmen, Os Perdedores, P.S Eu Te Amo, Greys Anatomy) conseguiu. Se o propósito era ser uma adolescente enjoada (Hannah), Madison Davenport se saiu muito bem. Se Kyra Sedgwick queria interpretar uma ex-esposa chata e infeliz (Stephanie), conseguiu perfeitamente (e tão bem que deu raiva dela). Porém a que mais chamou atenção sem dúvidas foi a pequena Natasha Calis (Em), a garotinha que interpretou a garota possuída. Não foi lá uma atuação surpreendente como a de Jodelle Ferland em Silent Hill ou Isabelle Fuhrman em A Orfã, mas também não deixou a desejar como muitas outras atrizes mirins (exemplo: guriazinha do A Entidade: totalmente fail). Natasha se saiu bem e conseguiu ser bem sombria em muitas cenas. O olhar dela, principalmente o olhar... dá um leve medo. Poucas atrizes tão jovens conseguem fazer isso e ela conseguiu.

A cada olhada a molecada gelava no cinema.

O grande problema do Possessão é que ele é apenas mais do mesmo. Tem poucos sustos, sendo que a maioria é totalmente previsível. Não passa medo, nenhum pouco de medo mesmo. O tema principal do filme é bem clichê, pois convenhamos: filmes sobre possessão/exorcismo já cansou qualquer um! Dos mais conhecidos tivemos Filha do Mal, Ritual, O Último Exorcismo e os melhores: O Exorcista e O Exorcismo de Emily Rose, sendo que todos os anteriores citados, incluindo o Possessão, tentam ser tão bons quanto estes dois últimos, mas não chegam aos pés de nenhum deles. Sabemos o que esperar de filmes assim: gente de olho branco, falando estranho e se contorcendo como lesmas ao entrarem em contato com o sal. E não sei porque acham que sair insetos da boca das pessoas é algo assustador. Nojento talvez, assustador... pouco. Confira insetos saindo de pessoas no Caso 39, Arrasta-me Para O Inferno e mais outros vários filmes que não me lembro...

Ao estilo Emily Rose.

Possessão é portanto um filme razoável. Bem feito, com uma boa produção, ótima trilha sonora (apesar de não ser nada inovadora), cenas legais (guria sombria, contorcionismos...) e bons atores com atuações convincentes. Só que não é inovador, não dá medo e proporciona poucos sustos. Assista com poucas expectativas que tenho certeza de que irá gostar. Se colocar as expectativas lá no alto, certamente se decepcionará muito. Não é terror, é suspense. Lembre-se bem disso. Minhas apostas para o próximo ano são Carrie, Mamá e Evil Dead (esse último em especial poderá ser o melhor filme de terror dos últimos 10 anos... ou não). Agora é esperarmos para que 2013 nos traga terror de verdade, pois no quesito terror 2012 foi fraquíssimo.

Nota (0-10): 7,0 (pela boa produção, trilha sonora, atuações e também uma boa história que nos prende totalmente a atenção).

Trailer


Curiosidades


- O filme é baseado no folclore judaico. Um artigo do Los Angeles Times falava sobre um armário do vinho supostamente assombrado, comprado em um brechó. Também dizem que um cara comprou uma caixa no Ebay, algumas coisas estranhas aconteceram com ele e ele passou a caixa adiante. E apenas por isso que o filme é "baseado em fatos reais".

- Inicialmente intítulado 'Dibbuk Box'.

 The Power of Christ compels you!
Ops, filme errado...

Um comentário:

  1. Olha a notícia do cara com a caixa do e-bay ! http://medob.blogspot.com/2012/11/demonio-da-caixa-possessao.html

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.