25 de ago de 2012

Game: "Vampire: The Masquerade - Bloodlines"

Vampire: the Masquerade - Bloodlines é um jogo para PC-Windows no estilo role-playing (RPG), desenvolvido pela Troika Games em 2004.

Não confundam este jogo com o esquecível "Vampire: The Masquerade - Redemption" da Activision. Este é mais atual, de outra produtora e completamente diferente.

Pra quem é chegado em um RPG de mesa, sim, este jogo se passa no universo de Vampire: The Masquerade da White Wolf, uma editora americana especializada em publicações de livros de RPG de horror. Este "universo" também pode aparecer como World of Darkness, mas não importa muito pra crítica de hoje.

Este jogo também é notável por ser o primeiro game em terceira pessoa a adotar o fantástico Source Engine da Valve, ou seja, o mesmo do Half-Life 2.

Bom, vamos ver se vale a jogatina?



Daqui em diante eu chamarei o jogo Vampire: the Masquerade - Bloodlines de VTMB por razões estéticas. Oks?

A primeira coisa que deve fazer em VTMB é escolher um clã de vampiro pro seu personagem e distribuir seus pontos, como acontece em qualquer RPG típico.

Os clãs são todos previstos no livro de RPG, influenciando em todos os seus atributos, skills e relações com NPCs. Se você é um Nosferatu, por exemplo, terá zero de appearance Se você é um Malkavian, você é afetado pela demência nas suas ações e diálogos durante o jogo inteiro.

Infelizmente, alguns clãs como Tzmisce ou Lasombra não estão disponíveis, mas alguns são mencionados ou, até mesmo, existem personagens desses clãs.

Um fato interessante é que os clãs são em sua maioria arquétipos populares dos vampiros: os Ventrue são aristocratas, como o Drácula; os Nosferatus, obviamente, lembram o próprio Nosferatu do filme alemão com o mesmo nome; os Toreadores são os vampiros sensuais de Anne Rice.

CHOOSE YOUR DESTINY!

Pessoalmente, eu joguei este jogo em 3 oportunidades, com 3 clãs: Toreador, Malkavian e Nosferatu. Com exceção dos 2 últimos, todos os outros clãs têm o gameplay e diálogos muito parecidos, mudando apenas quando é relacionado ao seu clã propriamente dito e, fora isso, em geral, são idênticos.

Os Malkavian são, de longe, o melhor clã para se jogar. Sua habilidade de Invisibilidade vale cada ponto gasto, a sua capacidade de causar demência nos NPCs poupa muito trabalho e, principalmente, os diálogos valem cada segundo. E por que isso?

Como eu já mencionei, os Malkavian são dotados de demência e essa loucura reflete em tudo no jogo: suas falas incompreensíveis, a reação dos NPCs quando você fala bizarrices, conversas com TVs e placas, TUDO no Malkavian é mais divertido, até suas roupas sem-noção.

Em uma cena hilária uma humana te reconhece e, usando a demência, você a convence de que você era a tartaruga de estimação dela. Priceless!

Os Nosferatu, no entanto, pela sua... ahn... aparência, causa repugnância e horror das pessoas à sua volta. Isso o torna o jogo mais difícil e não sei se isso é realmente um benefício.

Sou feio, e você que é pobre?
A jogabilidade é boa. Tem uns bugs, o personagem rebola demais quando anda(O.o), as armas de fogo não são as melhores opções de ataque, mas só. O jogo em geral é ótimo e você se vira muito bem com as armas brancas.

Os diálogos são um show à parte. As vozes encaixam, excelentes atuações, personagens cativantes que vão de um caçador de vampiros fanático religioso a um lobisomem de 3 metros de altura.

As missões são bem diversificadas: você pode explorar uma mansão assombrada, enfrentar um golem de pedra estressado, matar gárgulas e lutar epicamente com um lobisomem no parquinho. Ou não.

Isso se deve ao fato de VTMB ser repleto de quests. E você escolhe quais quer fazer e de que maneira irá agir. Lógico que você precisa realizá-las para dar continuidade ao jogo, mas "quando" e "como" fazer, é você quem decidirá.

A realização das quests afeta a sua afinidade com três das quatro organizações de vampiros: 

- Camarilla, a mais forte e antiga organização, que cria e aplica as leia sobre os vampiros. É nela que contêm a Lei da Máscara (que dá o nome ao jogo) sobre a não-revelação da existência dos vampiros aos humanos.
- Anarquistas (conhecidos também como Independentes), que se despreenderam radicalmente da Camarilla. Acreditam na igualdade de direitos e deveres para todos os seus membros, acreditando que os vampiros devem levar suas "vidas" da forma que desejarem, contanto que não interfiram na liberdade alheia.
- Sabá, organização arqui-inimiga da Camarilla que não respeita a "Máscara", é tida como sanguinária e desumana. Os sabá pregam que os mortais não devem ser temidos ou respeitados, e sim devorados como os seres inferiores que são.
- Kuei-Jin , são os vampiros orientais. O ending deles não é muito feliz...

Essa aí é sua Ghoul. Você se alimenta dela quando bem entender.
Eis que surge o maior problema de VTMB: é possível fazer todas as missões e agradar a todas as organizações (menos a Sabá, por motivos óbvios). Então é dada a opção no final de você escolher, em uma conversa de táxi, qual final você vai optar. Fácil assim.

VTMB acaba sendo como Skyrim: você pode ser um assassino sórdido e cruel e, ao mesmo tempo, o herói salvador de todos os tempos. Afinal, no final você vai poder escolher o que vai fazer, independente de tudo.

Outro detalhe é que o jogo é passado inteiramente em Los Angeles. No entanto, não parece Los Angeles. As ruas são mais escuras e vazias, em especial, na parte dos Inconnu, deve ter no máximo 3 pessoas nas ruas...

Isto, no entanto, não interfere imensamente na beleza que é jogar VTMB. Sério, quando é que você terá outra oportunidade de jogar um RPG na pele de um vampiro moderno? É pra pensar, cara. Sem falar as milhares de menções à mitologia dos vampiros como Ghouls, caçadores de vampiros, patriarcas, a eterna luta com os lobisomens, etc.

VTMB é um jogo que vale o seu tempo. E vale mais ainda se você for uma pessoa esperta e baixar os patchs não-oficiais do jogo que melhoram drásticamente os gráficos e o gameplay. 

Se você tem interesse, está disponível para compra na Steam.

E não, os vampiros não viram purpurina no sol. Eles torram até a morte.


Nota: 8,5


2 comentários:

  1. Mestrei o RPG Vampire por mais de 10 anos e posso dizer que esse jogo é fabuloso. Para quem conhece o RPG então... Um experiência inesquecível.
    Detalhe para a quest da casa assombrada, dá muito mais sustos de qualquer filme de terror, e olha que eu nunca tive nenhum susto vendo filmes de terror.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, me senti no hotel de O Iluminado nessa parte XD

      Excluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.