19 de mar de 2012

O Lobisomem (The Wolf Man)

Título no Brasil: O Lobisomem
Título Original: The Wolf Man
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 70 min. 
Ano de Lançamento: 1941
Estúdio/Distrib.: Universal Studios 
Direção: George Waggner 

Elenco: Claude Rains (Sir John Talbot); Lon Chaney Jr (Lawrence Talbot); Warren William (Dr. Lloyd); Ralph Bellamy (Coronel Montford); Patric Knowles (Frank Andrews); Béla Lugosi (Bela); Maria Ouspenskaya (Maleva); Evelyn Ankers (Gwen Conliffe). [+]

Sinopse: Com o retorno do jovem Larry Talbot a sua cidade natal no País de Gales. Após ter vivido muitos anos distante, Larry tem seu interesse voltado para uma bela jovem que o convida para um passeio noturno, o que ele nem imagina é que após esse passeio ao luar o destino de ambos mudará para sempre.


Vai Lendo!

Dourado pelo título de clássico, e detentor de remakes, entre eles o de 2010 (veja aqui), O Lobisomem é um filme realmente singular, porém não um dos melhores filmes já vistos ou produzidos. A trama não é simplória,  totalmente previsível e pouco aproveitada, retirando qualquer mistério que poderia sustentá-lo por um período maior de exibição. Não estou o menosprezando, apenas mostrando que não se trata de uma obra épica ou extraordinária como Frankenstein, essa película pegou a Universal numa época boa para esse tipo de produção, e O Lobisomem é memorável.

Não gosto de acabar com a moral dos filmes, apenas sou realista.
O filme possui seu grau de originalidade e de criatividade, e pode-se afirmar que o visual de lobisomem é meio fora do que normalmente se espera. A maquiagem do monstro não é perfeita, pois lembra mais a um urso do que um lobo, além dos movimentos do ator serem bem forçados, e mesmo assim ficou gravado na cultura pop por um bom tempo. Quando se fala em vampiros, sempre há uma grande exploração e adaptações de várias características do monstro, mas quando o assunto é lobisomem, entra na mesmice, porém ainda considero essa película de 1941 proveitosa.

Por que os roteiristas adoram botar ciganos em filmes de terror?
Há várias gafes, e alguns erros de continuidade a serem levadas a sério. Porém não estamos falando de um trash, basta lembrar o ano em que foi filmado, portanto nem vale ficar apontando a imensidão de defeitos de produção existentes. O filme é fraco, porém não decepcionante, pois toda a sua proposta é cumprida, tudo é explicado, e ninguém sai com dúvida. Sinceramente, eu já considero uma vitória este filme ter saído do papel e ter sido realizado, porque, na época, além de parecer absurda, a proposta é até criativa, o que rendeu a sua popularidade.

As pessoas deveriam dar mais chances aos clássicos.
Resumidamente, O Lobisomem foi um filme criativo, mesmo que possuidor de vários erros e uma trama fraca. Um Cult com certeza, mas não um filme profundo e arrebatador. Vale apena para quem gosta, chegando até ser imperdível, por outro lado, com uma visão mais geral de público, a maioria não deve ter a paciência para uma obra com tal perfil. Se você se julga pertencer a essa minoria, eis uma boa sugestão.

Nota (0-10): 7

Trailer

Um comentário:

  1. Ainda não vi esse, mas já vi a continuação dele: Frankenstein Encontra o Lobisomem (e depois dessa ainda tem gente que pensa que Freddy versus Jason é uma inovação).
    Gostei. Levando em conta, é claro, que não se pode comparar esse com uma produção de hoje. Só não gostei muito da cena final, porque achei que o fim deixa o destino dos 2 monstros muito sem explicação.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.