30 de jan de 2012

O dia mortos



O dia mortos
Título original: Day of the Dead
País de origem: EUA
Data de lançamento: 1985
Tempo de duração: 102 minutos
Direção: George A. Romero
Roteiro: George A. Romero
Elenco: Lori Cardille, Terry Alexander, Joe Pilato, Jarlath Conroy, Anthony Dileo Jr., Richard Liberty, Sherman Howard, Gary Howard Klar, Ralph Marrero, John Amplas, Phillip G. Kellams, Taso N. Stavrakis, Gregory Nicotero


Sinopse

O apocalipse continua. A infestação Zumbi vai dominando o planeta e poucos são os sobreviventes. Uma das esperanças da raça humana, o excêntrico Dr. Logan conduz experiências em um complexo subterrâneo, até que tudo sai do controle.

Vai Lendo !!



Esta semana estamos comemorando o Terceiro Aniversário do Vai Assistindo e nada melhor do que oferecer a vocês leitores mais um especial, desta vez homenageando outro ícone dos filmes de Terror George Romero.

Fiquei com o desafio de fazer a primeira postagem do especial e escolhi o terceiro filme da Trilogia Clássica dos Zumbis de Romero: “O Dia dos Mortos”.

O filme começa dando seqüência aos fatos narrados nas películas anteriores, o mundo já está assolado pelo Apocalipse Zumbi, hordas e mais hordas de mortos-vivos cobrem o planeta. A humanidade esta reduzida a poucos grupos de sobreviventes isolados.

Um destes grupos se refugia em uma antiga mina, adaptada pelo governo americano em um complexo de arquivos e laboratórios. O grupo heterogêneo é formado por militares e pesquisadores que tentar conviver em harmonia neste ambiente sufocante e claustrofóbico.
As experiências realizadas principalmente pelo Dr. Logan demandam a captura de zumbis vivos pois o cientista tenta “domesticar”, chegando a ter bons resultados com Bub um dos espécimes coletados.


A relação entre os membros do grupo vai se tornando cada dia mais difícil e acaba culminando em grandes problemas. Crises interpessoais, uma mina abandonada sem muito lugar para onde se fugir e um mundo repleto de zumbis são todos os fatores necessários para um grande desastre.

Mais uma vez Romero aposta na formula de sucesso já testada em “Dawn of the Dead”, apresenta um novo núcleo formado de novos personagens em novas situações. Um dos motivos de empregar tal tática é apresentar para os espectadores diversos pontos de vista do mesmo caos.

O cenário do filme, uma mina readaptada, passa uma sensação claustrofóbica ao espectador, aproveitando este ambiente o filme abusa das tomadas escuras e jogos de sombras. Este ambiente recluso oferece a Romero uma oportunidade de trabalhar com os aspectos psicológicos de seus personagens, podemos seguramente afirmar que os dramas e relações interpessoais são uma fonte maior de suspense e crise do que a própria existência dos zumbis.


As costumeiras criticas sociais de Romero estão novamente presentes e talvez Bub, o zumbi domesticado, talvez seja a maior destas criticas. Ao serem apresentados objetos cotidianos o zumbi parece se lembrar vagamente da utilidade de cada um dos objetos, mas assim que colocam uma arma em sua frente ele imediatamente se lembra como ela funciona, uma alegoria de Romero para a violência inerente ao ser humano ?

Outro ponto interessante é o upgrade feito nos zumbis. Enquanto que no filme “Dawn of the dead” eles são lentos e após agarrarem suas presas demoram uma eternidade para os morderem, neste filme assistimos a zumbis mais rápidos e vorazes, que conseguem até mesmo utilizar equipamentos, uma espécie de versão 2.0 dos zumbis.

Embora “Dawn of the Dead” tenha uma dose considerável de sangue, este filme é o mais visualmente violento de todos: litros e litros de sangue, órgãos em profusão e corpos rasgados ao meio são comuns na película, mais um grande trabalho de Tom Savini. Lembro-me que o filme quando chegou às locadoras em idos de 1986-87 chegou a ter sua locação proibida para menores.


Embora reúna elementos clássicos e novos ensaios, o filme é o mais fraco da trilogia. O enredo não tem as inovações dos anteriores e o espectador consegue perceber em pouco tempo o que vai dar errado no final do filme, que alias deixa um pouco a desejar.

Em meu ponto de vista um dos maiores problemas com a versão nacional é a dublagem, tosca e com voz empostada o tempo todo. Se puderem assistam a versão original legendada.
O dia dos Mortos, um filme que tem alguns problemas, mas que é um prato cheio, de vísceras e sangue, para os fãs de Romero.

Você também pode participar do nosso Especial George A. Romero, basta escrever uma critica sobre um de seus filmes, as regras estão disponiveis nesta postagem da Ninne. Participe e publique sua resenha em um dos melhores blogs de Terror brasileiro.


Trailer



Curiosidades:

- Antes de produzir “O dia dos Mortos” Romero produziu Creepshow - Show de horrores (1982) em parceria com o escritor Stephen King, e o livro que o Dr. Logan dá a Bub é "Salem's Lot." De autoria de King.

- Todos os figurantes do climax zumbi receberam por seus serviços: um boné que dizia "Eu fui um Zumbi no" Dia dos Mortos ", um exemplar do jornal a partir do início do filme (aquele que diz: THE DEAD WALK!), e um dólar.

- É o único filme de zumbi de Romero onde um morto vivo tem uma fala: "Hello Aunt Alicia." Dito por Bub.

- O sangue e as entranhas que se espalham quando o capitão Rhodes é atacado são de porcos. O material foi conseguido em uma fazenda próxima e guardado em geladeira até o momento das filmagens.

Nota: 8,0


3 comentários:

  1. Nossa.. muito bom esse filme... recentemente adiquiri o Bluray ... é como se tivesse visto um filme completamente diferente.... em HD, os filmes do Romero ficam muito melhores.... Poderia também, postar dicas de onde encontrar os Blurays de cada filme ? ex: No site da VideoLar, o Dia dos Morto sai por 19,90 com frete gratis... e no Submarino e Americanas o mesmo valor, mas com frete pago

    ResponderExcluir
  2. Dolfo, alguns titulos não foram lançados em HD ainda. O cinema do Terror fica meio esquecido por não gerar muitos blockbusters, então o melhor é garimpar os lançamentos nos sites das grandes livrarias. Mas o legal mesmo é se enfiar em um sebo e procurar algumas raridades em DVD e VHS (sim ainda uso esse tipo arcaico de midia para assistir algumas coisas rsrs) cada vez que vou a SP perco a conta de quantas horas passo no sebo do Messias na praça João Mendes.

    ResponderExcluir
  3. Ainda nãao assistir esse O DIA DOS MORTOS de 1985, mais já assistir o remake de 2008 que também é muito bom!!
    Visitem meu blog ae galera:: http://ocriticadordefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.