7 de dez de 2011

A Mosca da Cabeça Branca (The Fly)

Título no Brasil: A Mosca da Cabeça Branca
Título Original: The Fly
País de Origem: EUA
Gênero: Terror/Ficção Científica
Tempo de Duração: 94 min
Ano de Lançamento: 1958
Estúdio/Distrib.: 20th Century Fox
Direção: Kurt Neumann 

Elenco: David Hedison (Andre Delambre); Patricia Owens (Helene Delambre); Vincent Price (François Delambre); Herbert Marshall (Inspetor Charas); Kathleen Freeman (Emma); Betty Lou Gerson (Enfermeira Andersone); Charles Herbert (Philippe Delambre). [+]

Sinopse: Cientista inventa maquina capaz de desintegrar a matéria e reintegrá-la em outro lugar, mas quando ele resolve se teletransportar uma mosca entra na maquina com ele e os dois são desintegrados e reintegrados de forma trágica.

Vai Lendo!


Clássico trash da ficção científica, um Cult do terror, A Mosca da Cabeça Branca é um filme ousado e bem criativo, mas limitado por causa de sua época. A trama é dinâmica e direta, não exigindo a paciência do espectador, e mesmo assim conquistando a sua atenção total através da expectativa que o desfecho desperta. O filme está longe de ser ridículo, e não é apenas pela presença do brilhante Vincent Price, visto que conta com um enredo bem trabalhado e produzido.



Sempre tem um animal fofinho que paga o pato.

Mesmo com a minha quase cega admiração por Price, os demais atores tem o mérito de conseguirem desempenhar seus papéis de modo notável. Patrícia Owens praticamente apaga os demais atores com que contracena, além da incrível expressão corporal dramática de David Hedison como o cientista azarado. A Mosca da Cabeça Branca não tem nenhum mistério, e nem por isso é totalmente previsível. Em suma, se trata de uma história que você meio que sabe como acaba, mas mesmo assim fica espantado com o final que, pessoalmente, é um pouco perturbador até para os dias atuais.




Qual seria o pior destino a um inseto?

Ponto negativo: a maquiagem e boa parte dos efeitos. O visual “mutante” do homem mosca é pouco convincente, não alterando o fato de ainda ser bem bizarra. Os efeitos luminosos da aparelhagem do laboratório também têm sua qualidade e credibilidade questionável, mas lembrando que é um filme de 58, não era de se esperar muito. Aliás, é bem mais provável que você aprecie o filme se não tiver expectativa nenhuma, seja ela positiva ou negativa, pois assim será possível notar o como um bom roteiro supera os efeitos visuais.


Meu deus, a roupa dele está toda amassada!
Para os leitores que não gostam de filmes em preto e branco, uma boa notícia: A Mosca da Cabeça Branca é colorido. Simplesmente eu não entendo no que o fato de ser ou não em cores influencia tanto, visto que independentemente disso o filme continua sendo muito bom.Quem se diz fã do gênero terror, ou cinéfilo, obrigatoriamente é necessário assistir a esse título, visto que é um marco da década de 50.

Nota (0-10): 8

Trailer

3 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ver esse filme! Com toda certeza vou atras! ;)
    Eu também não entendo o fato do filme ser colorido ou não influenciar... Na verdade eu ate prefiro os filmes em preto e branco, acho q eles tem um charme a mais. rs ^^

    ResponderExcluir
  2. Amei que essa semana seja dedicada ao lendario vincent price,e o filme a mosca da cabeça branca é um classico dos 50.Parabens pela critica

    ResponderExcluir
  3. Eu lembro de ter tido pesadelos por causa desse filme! kkkk Tinha uns 8 ou 9 anos quando vi pela primeira vez, que vergonha.

    Eu acho que a Ninne devia promover o DiMarte, afinal, ele faz coisa pra caramba pro VA.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.