14 de dez de 2011

A Casa (The Silent House)

Título no Brasil: A Casa
Título Original em Espanhol: La Casa Muda
País de Origem: Uruguai 
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 86 min. 
Ano de Lançamento: 2010
Estúdio/Distrib.: Tokio Films
Direção: Gustavo Hernández 

Elenco: Florencia Colucci (Laura); Abel Tripaldi (Nestor); Gustavo Alonso (Wilson); María Salazar (menina).

Sinopse: Laura e seu pai Wilson se hospedam em uma casa para avaliá-la, já que seu proprietário vai colocá-la à venda em breve. Eles passam a noite na casa para começarem o trabalho na manhã seguinte. Tudo parece ir bem, até que Laura ouve um barulho que vem de fora e fica cada vez mais alto no andar superior da casa. Wilson vai ver o que está acontecendo, enquanto ela permanece sozinha lá embaixo esperando o seu pai voltar.



Vai Lendo!

Baseado em um real massacre que ocorreu em 1944 em um vilarejo no Uruguai, filmado com uma câmera fotográfica Canon EOS 5D Mark II e gravado em um único take, A Casa tem feito sucesso em vários festivais internacionais. Pessoalmente, considerei o método de produção do filme não só inovador, mas como genial, e com absoluta certeza deve ter sido bem trabalhoso as filmagens. Esse processo garantiu que todos os acontecimentos estejam ocorrendo em tempo real, isso mesmo, são 76 minutos corridos tanto na sua casa como no filme, desta forma o mérito é totalmente da equipe que realizou o filme. A Casa lembra um bem a REC, só quem sem zombies/infectados/possuídos e com menos andares e cômodos.

Imóvel abandonado é zica.
O que achei de A Casa: primeiramente, a tensão do filme é realmente boa, porém fica monótona rapidamente pela falta de ação. A personagem principal, Lola, é estranha e irritante, porém ela sofre uma evolução extrema e perturbadora até o final da história. Aliás, a trama é muito confusa e que exigirá certa “digestão” antes de todos os fatos se interligarem e justificarem/explicarem o que aconteceu naquela maldita casa abandonada. Apesar do caos estrutural da história e o exagero, não é exatamente ruim, pois se leva alguns bons sustos, além de que o suspense contamina o espectador. Admito que A Casa não seja o melhor filme que assisti, porém está bem longe de ser um dos piores. Eu sou fã desse tipo de filmagem, adoro REC, curto o primeiro Atividade Paranormal e amo A Bruxa de Blair, então digo que A Casa não é um desperdício de tempo.

Laura, a esquisita.
O filme tem seus defeitos, e a maioria já foi mencionada, valendo também ressaltar que todas as atuações deixam um pouquinho a desejar. Entretanto, o visual do filme é impecável, e para somar a isso, em uma época em que se leva até 3 anos para se produzir uma obra, A Casa levou apenas 4 dias com a filmagem única e a pós produção, por isso a duração levemente rápida. A Casa se destaca mais pelo seu extraordinário desempenho técnico do que pelo artístico, não querendo desmerecer esse setor, e é por isso que muitos acham o filme ruim. A dinâmica do título não é semelhante aos do circuito comercial, o que facilita o tal julgamento da massa popular ou leiga, e não estão eles totalmente errados, apenas a sua argumentação que é imprópria. O desempenho do minúsculo elenco somado com as longas sequências pouco agitadas é que desacreditam parcialmente A Casa.

Dá aonde veio essa garota? Veja o filme.
Eu recomendo tanto para quem acha que vai gostar quanto para quem acredita que não. O trabalho desenvolvido em A Casa é interessante e intrigante, pois o objetivo do filme não é reinventar o gênero, mas sim inovar os meios de atingi-lo. Ao contrário da tradução inglesa errada do nome, no espanhol o verbo mudar significa movimento, portanto a tradução correta seria algo como “Mudança de Casa”, “A Casa Movimentada” ou então “O Movimento da Casa”. Agora o nome do filme faz sentido, pois o foco é a movimentação dentro dela, não o fato dela ser silenciosa ou de ser muda (e casa por acaso fala?). Eu acredito que vale apena assistir mesmo com os defeitos, afinal, quando foi a última vez que você viu um filme de terror uruguaio?

Nota (0-10): 6,5

Trailer

4 comentários:

  1. Eu adorei esse filme, no começo é lento mas é bem interessante

    ResponderExcluir
  2. Uma Grade trabalho, mesmo com pouca grana, achei o filme diferente e com uma atmosfera sombria.

    Acho que 6,5 é uma nota muito fraca para o filme.

    ResponderExcluir
  3. Filme fraco, totalmente previsivel, as coisas demoram a acontecer e quando acontencem só fazem voce dizer "eu ja estava esperando por essa". Tedioso e apesar do fator foi-feito-em-uma-golada, não tem nada a oferecer. Sei lá, talvez um 4,2 pra uma tarde entediada.

    ResponderExcluir
  4. Silent House 2011 - Não entendi a sequencia dos fatos, "filme sem pé e cabeça" - Pelo que entendi o pai e o tio fizeram algo p/ ela na sua infância, e as fotos dizem isso, quer dizer, quando vc foca nas fotos em câmera lenta, não há nada que incrimine as fotos (estupro - pedofilia), visto que tanto o pai como o tio dizem que foi uma brcadeira. e pelo que parece ela matou o pai e feriu o tio, com imaginações da cabeça dela mesmo. A menina que aparece é ela mesma na infância; bem foi isso que entendi do filme, nada mais. Sustos previsíveis e o que é estranho, como os fatos se desenrolam à luz do dia, porque não abriram as janelas. Usar lanternas e lampiões à luz do dia não dá p/ engolir. E quem é Sophia, a garota que aparece no começo do filme, e no final? Imaginação dela?

    Faltou enredo p/ explicar melhor tais dúvidas. Nota 4.5

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.