2 de nov de 2011

Halloween II - O Pesadelo Continua (Halloween II)


Título no Brasil: Halloween II - O Pesadelo Continua
Título Original: Halloween II
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 92 min.
Ano de Lançamento: 1981
Estúdio/Distrib.: Universal Studios
Direção: Rick Rosenthal

Elenco: Tony Moran (Michael Myers); Donald Pleasence (Dr. Sam Loomis); Jamie Lee Curtis (Laurie Strode); Charles Cyphers (Xerife Leigh Brackett); Nancy Stephens (Marion Chambers).[+]

Sinopse: Haddonfield, Illinois, 31 de outubro de 1978, noite de Halloween. Michael Myers  escapou apesar de ter sido baleado. Laurie foi levada para a Haddonfield Memorial, o hospital da localidade, para tratar dos ferimentos e se recuperar do choque, mas começa a questionar por qual razão Michael a perseguiu. Michael continua fazendo outras vítimas, mas seu objetivo é ir até o hospital e assassinar Laurie. Há uma razão para esta obsessão doentia, um motivo que nem Loomis sabe ainda.

Vai Lendo!

Dirigido por Rosenthal, produzido por Carpenter, eternizado por Myers. Quatro anos após o estrondoso sucesso de Halloween, essa sequencia começa exatamente onde a primeira parou, produzindo um perfeito fluxo da história. Obviamente, não é de se esperar que o segundo seja tão bom quanto o anterior, entretanto dificilmente é coerente chamar Halloween II de ruim por vários aspectos, entre eles o simples fato de que a história também é muito boa.


Michael is back, again.
Contando agora com um gordo e alegre investimento de 2,5 milhões, o filme conseguiu arrecadar um pouco mais de 25 milhões. Eu não sou muito bom em matemática, mas acredito que houve um lucro humilde, pelo menos o suficiente para repor os gastos da produção. Esse orçamento feliz garantiu um melhor desempenho da trama, proporcionando cenas grandiosas e hollywoodianas, além de marcantes. A utilização dos efeitos não enfraquece o enredo, mas marca bastante essa continuação, além do suspense mais hostil e ansioso.


Corre Laurie, corre!
Halloween II é mais acelerado e movimentado, utilizando a mesma dinâmica de iluminação aproveitada no primeiro. Apesar de possuir diálogos ainda mais condensados, o filme se justifica pelas ações silenciosas e enlouquecedoramente calmas de Myers. Sim, dessa vez o que predomina é o show de carnificina e a perseguição predatória. Ambientar a maior parte da trama em um hospital só ajuda mais a causar insegurança no espectador, visto que deveria ser um lugar seguro e bem guardado. Claro que, no terror, não existe local melhor do que um hospital para monstros e assassinos sedento por vítimas indefesas.


Telefone não funciona? Saí daí mulher.
Esse é o penúltimo filme da saga que conta com John Carpenter, e o último que ele lidera a história de Mike Myers, pois Halloween III, para quem se lembra, é uma história paralela. Não dá para acompanhar essa história apenas assistindo a esse filme, e não encaro isso como um defeito. A história é bacana, as atuações são relativamente boas, e poderia muito bem ter parado por aqui, pois do quarto em diante (onde Carpenter já não mais está relacionado com a produção) a saga entra em alguns clichês desgastados.


Nota (0-10): 9


Trailer


Curiosidade:
- A Noite dos Mortos Vivos, de Romero, aparece várias vezes nos televisores das casas e do hospital.

Um comentário:

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.