14 de out de 2011

O Fantasma da Ópera (The Phantom of the Opera)

Título no Brasil: O Fantasma da Ópera
Título Original: The Phantom of the Opera
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 93 min. 
Ano de Lançamento: 1925
Estúdio/Distrib.: Universal Studios 
Direção: Rupert Julian 

Elenco: Lon Chaney (Erik, O Fantasma); Mary Philbin (Christine Daaé); Norman Kerry (Vicomte Raoul de Chagny); Arthur Edmund Carewe (Ledoux); Gibson Gowland (Simon Buquet); John St. Polis (Conde Philippe de Chagny).[+]

Sinopse: Erik, um compositor desfigurado em seu rosto, que vive nos subsolos de um grande teatro em Paris, apaixona-se por uma jovem cantora de ópera, e a convence a desistir de seu par, sequestrando-a em seus aposentos. Adaptação para o cinema mudo do romance de Gaston Leroux.

Vai Lendo!

Antes de tudo: Eu adoro/idolatro/amo essa história, apesar de poucas adaptações me agradarem. Agora, um teste tosco: Como fazer um filme MUDO de uma história que se passa em uma ÓPERA? Este é o ponto mais controverso deste filme de 1925, pois originalmente a trama é tem diversas cenas cantadas (o livro, pois a ópera é toda cantada [ah vá, jura?!]), e representar essa mesma história sem produzir um único som não foi só um desafio de produção, mas também de aceitação.

Irônico: uma trama musical em um filme mudo.
Mas não pense você que o filme é um lixo. Para alguns deve até ser, mas não no meu ponto de vista, levando que este filme está bem enraizado e fixo na história do cinema, sendo considerado de relevância histórica. Óbvio que não irá assustar ninguém (eu me espantaria se alguém se assustasse), porém é inegável que a produção não foi competente. A maquiagem pode parecer tosca, mas no ponto de vista de 1925, foi até bem feita.

E você se achava feio.
Os cenários são fantásticos, bem explorados e detalhados, e mesmo as atuações extravagantes não diminuem O Fantasma da Ópera. Muitas cenas são clássicas e memoráveis, eternamente exploradas por várias mídias. Claro que o filme tem defeitos, como todos os lançados nesse período. Com experimentações e certas ousadias, foi através deles que o cinema ergueu sua mão pútrida da terra e infectou milhares de pessoas como uma epidemia zumbi.

“Oh, a sombra do Fantasma!”
Voltando para o filme, a maioria das atuações é bem exagerada, às vezes propositalmente cômica, outras porque o cinema era mudo, e os caras tinham que dar seu jeito de ser o mais convincente possível. O filme é regular no ponto de vista mais geral, porém não o recomendo para aqueles que gostam de algo mais “moderno”. Para os curiosos e cinéfilos, uma boa opção.

Nota (0-10): 7

Trailer

3 comentários:

  1. Umas dicsa de Séries de Terror para vc assistir e quem sabe um dia criticar são American Horror Story e Happy Town, estou acompanhando e estou achando ótimas! Espero que possa fazer um postagem sobre elas!

    ResponderExcluir
  2. Esse filme é um marco na historia do cinema de terror, quando viajei pros EUA vi uma peça sobre esse filme mas nossa é genial

    ResponderExcluir
  3. adoro a história e adorei esse filme, mas eu que já sou bem moderna,me desculpe,acho a versão de 2004 melhor
    bjs Isadora(hi)

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.