5 de ago de 2010

Leitura Recomendada: A Torre Negra de Stephen King

Nada mais conveniente do que iniciar essa seção com uma obra do mais conhecido e ilustre escritor de terror do século XX, autor de inúmeros best-sellers, e que sendo mencionado seu nome em uma conversa, mesmo que a pessoa nunca tenha lido nenhuma de suas obras (o que é um pecado) vai saber de quem se trata. Ninguém mais ninguém menos do que o mestre Stephen King.

A Torre Negra não se trata de um livro, mas sim uma série de sete volumes, sendo que King começou a escrever no início da década de 70 tendo finalizado somente na metade dos anos 2000, acumulando mais de 4000 páginas. Teve lançamento nacional pela editora Objetiva no ano de 2004 (sendo finalizada em 2007) e ainda se encontra com relativa facilidade os volumes na melhores livrarias (apesar do preço ser meio salgado).



Inspirado pelo poema épico “Child Roland to the Dark Tower Came” do escritor Robert Browning, por estórias de faroeste e pelo mundo mágico de JRR Tolkien, King escreveu a sua obra máxima, aquela que o próprio autor descreve como sendo o seu “Senhor dos Anéis”.


Originalmente o primeiro volume O Pistoleiro foi publicado em 1978, não em forma de livro, mas sim em cinco capítulos na revista “The Magazine of Fantasy & Science Fiction”, sendo que sua primeira versão em livro com o texto integral ocorreu somente em 1982.



Edições da “The Magazine of Fantasy & Science Fiction” onde foram publicados os capítulos de O Pistoleiro.




O homem de preto fugia pelo deserto, e o pistoleiro ia atrás...”

A Torre Negra conta a estória de Roland Deschain, o último pistoleiro. No mundo de Roland, ser um pistoleiro representa ser um guerreiro respeitado, defensor da justiça e possuidor de um código de honra rigoroso, uma mistura de cowboy, samurai e cavaleiro medieval.
Roland percorre um mundo devastado em uma busca obsessiva pela Torre Negra, que segundo sua crença pode ser a única salvação para o seu mundo.
A Torre Negra na verdade é uma representação física do eixo que mantém o tempo e o espaço em harmonia, sua destruição provocaria não só fim do mundo de Roland, como também de todos os outros, e uma coisa é certa existem seres empenhados nessa tarefa.
Resumo dos livros:
O Pistoleiro (The Gunslinger – 1982)
Roland persegue em meio ao deserto escaldante o misterioso Homem de Preto, que possui pistas para alcançar seu objetivo, em seu caminho o pistoleiro encontrará uma perigosa armadilha e o primeiro personagem chave para alcançar a Torre, o menino Jake Chambers, que em nosso mundo morreu e foi transportado para o mundo de Roland.
No final Roland deverá tomar uma difícil decisão: prosseguir em sua busca pelo Homem de Preto ou salvar a vida de Jake.
A Escolha dos Três (The Drawning of Three – 1987)
A busca do pistoleiro pela Torre Negra segue com Roland percorrendo uma extensa praia deserta, enquanto luta contra a fome e a sede e ainda algumas monstruosidades vindas do mar. Em seu caminho aparecerão três portais e através deles Roland entrará em contato com mais duas pessoas de nosso mundo essenciais para sua busca: o viciado em heroína Eddie Dean e a cadeirante Odetta Holmes.
As Terras Devastadas (The Waste Lands – 1991)
Roland, Eddie e Susannah (nova identidade assumida por Odetta) se encontram com o último membro do grupo que será necessário para alcançar a Torre Negra. Após o surpreendente encontro, o grupo entrará na cidade de Lud, onde duas facções rivais se enfrentam: os Grays e os Pubs.
Mago e Vidro (Wizard and Glass – 1997)
O grupo de Roland consegue escapar da cidade de Lud apenas para cair em mais uma armadilha. Ao pegar carona em um trem dotado de inteligência artificial chamado Blaine, eles descobrem que o mesmo pretende fazer uma viagem suicida levando-os junto.
Após escapar de Blaine, o grupo explora a cidade devastada de Topeka, então Roland revela seu passado para seus companheiros, a sua juventude, como se tornou um pistoleiro e seu primeiro amor: a jovem Susan Delgado.


Volumes 1 ao 4, edição nacional pela editora Objetiva.




Lobos de Calla (Wolves off the Calla – 2003)
A busca de Roland leva o grupo à cidade de Calla Bryn Sturgis, que é um lugar com alta taxa de natalidade de gêmeos. A cada geração cavaleiros mascarados, os Lobos, surgem e levam uma criança de cada par de gêmeos, devolvendo semanas depois incapacitadas mentalmente. A população solicita que Roland os ajude a lutar contra os Lobos.
Canção de Susannah (Song of Susannah – 2004)
O grupo se divide, Roland e Eddie chegam ao nosso mundo em busca do escritor Stephen King (sim ele aparece como um personagem), que tem um papel chave a assumir. Enquanto isso o restante do grupo parte em busca de Susannah que se revela grávida e possuída por uma entidade, ela também atravessa um portal dimensional parando na Nova York de 1999. Resta saber agora qual o papel da gravidez de Susannah.
A Torre Negra (The Dark Tower – 2007)
Roland chega à etapa final de sua busca, no entanto o caminho se revela cada vez mais tortuoso. O grupo deverá enfrentar agora seres dispostos a destruir A Torre Negra. Duras perdas acontecerão no caminho e Roland deverá mostrar toda sua persistência para alcançar seu objetivo e enfrentar a ameaça final: O Rei Rubro.


Volumes 5,6 e 7 da edição nacional.

Considerações finais e pessoais.

A primeira vez que li um livro de Stephen King eu devia estar na sétima série na escola, na época minha leitura se resumia aos livros infanto-juvenis que os professores obrigavam os alunos a lerem e também a clássicos da literatura nacional que não eram obrigatórios, mas que eu lia por gosto (na época eu era mais intelectual do que sou hoje).
Certa vez na biblioteca da escola a bibliotecária me indicou um livro que ela mesma tinha doado e dizia ser muito bom, ela me apresentou Christine. A principio olhei com desconfiança, apesar de já saber quem era Stephen King, nunca tinha lido nenhuma de suas obras e confesso que a idéia de um carro assassino me parecia um tanto quanto estúpida e sem lógica.
Mas é aí que está o grande trunfo de King, o escritor consegue transformar as idéias mais banais e às vezes tolas em algo tão convincente que se torna extremamente plausível um carro assassino, ou uma chuva de sapos comedores de gente, ou um menino que toma por refém uma rua inteira com personagens de desenho animado saídos de sua imaginação.
Após ler Christine me tornei fã assumido do sujeito.

Não exagero ao considerar A Torre Negra sua obra máxima, apesar de ser uma estória de fantasia, todos os elementos do terror de King estão impressos ali. No primeiro livro da coleção uma passagem particular me chamou atenção: durante a passagem do Homem de Preto por uma cidadezinha, ele resolve trazer de volta a vida um homem recém falecido, até aí nada de muito anormal, só que a descrição do ritual foi tão intensa, profana e assustadora que eu percebi que não conseguiria parar de ler até chegar a última página do sétimo volume.

Além de sua estória contagiante e de seus personagens carismáticos, A Torre Negra também apresenta muitas referências a cultura pop, elementos que vão desde Star Wars até Harry Potter, mencionando também inúmeros filmes de terror, música e etc. Mas as maiores referências mesmo estão aos próprios livros de King, inúmeros personagens, situações e fatos de seus outros livros são mencionados. É como se praticamente todo livro ou conto escrito fizesse parte de um único universo.
Só para citar como exemplo, Roland menciona em determinada situação ter visto dois jovens perseguindo Randall Flagg, esses dois jovens são Denis e Tomás, personagens de “Os Olhos do Dragão”. Aliás, o próprio Randall Flagg aqui é um importante personagem e que também já deu as caras em alguns livros de King, sendo inclusive responsável pela destruição do mundo em “A Dança da Morte”.
Outra participação importante é de Padre Callahan personagem de “A Hora do Vampiro”, que no livro original simplesmente desaparecia sem dar notícias, aqui ele não só reaparece como também é contada toda sua estória após o confronto com o vampiro Barlow.
Enfim são tantas ligações com as outras obras de King que é impossível mencionar muita coisa sem estragar as boas surpresas daqueles que se aventurarem pelo universo de “A Torre Negra”.

Coleção "A Torre Negra". Uma verdadeira torre de papel na sua estante.


Uma última consideração a se levar: recentemente os direitos autorais da obra foram vendidos a dupla responsável pelo seriado Lost, Damon Lindelof e J.J. Abrams para uma adaptação cinematográfica. E mais recentemente ainda acabaram por perder os direitos.
King que não é bobo nem nada já repassou a bola para o trio responsável (ou melhor dizendo irresponsável) pela adaptação cinematográfica de O Código da Vinci, Ron Howard, Akiva Golsdman e Brian Grazer.
Particularmente eu acredito que o universo de King é intransponível para o cinema, vide as péssimas adaptações de seus livros para as telonas ao longo dos anos (apesar de eu gostar de algumas a grande maioria é bem aquém dos livros). Ou seja, meu conselho final é que corram atrás e leiam os livros antes que Hollywood jogue mais uma bomba em suas mãos.

That's All Folks!

3 comentários:

  1. Adoro a série da torre negra. Apesar de ser um pouco suado comprar os 7 livros foi um dinheiro que valeu totalmente a pena gastar.
    Eu adoro o clima que King coloca no mundo, com as terras devastadas, o fim eminente e o clima pistoleiro de ser.
    Gostei muito de sua resenha, vou passar ela para alguns amigos que estou tentando viciar na torre negra.

    ResponderExcluir
  2. @Elriolt
    Na época que eu comprei os livros estavam em promoção e eu acabei gastanto mais ou menos uns 50 porcento do valor que está hoje, e ainda assim foi um pouco caro.
    Mas confesso que valeu a pena, pois esta é uma estória impar e que eu pretendo ler pelo menos mais uma vez antes de morrer.
    Fico feliz que tenha gostado, obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro a série, esperei os seis meses para comprar cada livro que saia. Estou a anos fazendo a coleção de todos os livros de King. Todos são ótimos.
    A resenha estava moito boa, é inspirador ver que mais pessoas se dispoe a ler obras com este volume (principalmente em se tratando da Torre Negra e Dança da Morte).
    Ótimo post...

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.