16 de jul de 2010

Siren: New Translation

Título Original: Siren: New Translation
Título Americano: Siren: Blood Curse
Categoria: Survival horror, Stealth
País de Origem: Japão
Ano de Lançamento: 2008
Desenvolvedora: Japan Studio
Fabricante: Sony
Console: PlayStation 3
Idiomas: Inglês/Japonês
Jogadore(s): 1 player


Sinopse: A história começa no dia 3 de Agosto de 2007 e baseia-se no grupo de televisão dos Estados Unidos que vão ao Japão para investigar e documentar a lenda da ilha Hanuda, a "vila desaparecida", onde dizem ter acontecido sacrifícios humanos há trinta anos. Mas, eles e mais outras pessoas estão tentando sair da ilha antes que seja tarde demais!

Vai lendo!



Olá pessoal! Então, voltei finalmente depois de meses sem postar. Achei que já tivessem me deserdado. Mas é que eu estava com problemas de final de semestre na faculdade. Até meu blog ficou desatualizado. Mas enfim, agora estou de férias! MUAHAH

Continuando sobre o post... Hoje irei falar um pouco sobre Siren: Blood Curse.

Siren: Blood Curse é um jogo que mistura Stealth com Survival Horror. Mas, o que é Stealth?
Bem, em inglês, essa palavra significa "camuflagem" ou "disfarce". Isso existe em vários jogos (ex. Clock Tower, Hauting Ground e até MGS), mas não são tão focados como em Siren.

Siren: Blood Curse é uma espécie dum remake do primeiro Forbidden Siren que saiu para PlayStation 2. Não é um remake própriamente dito porque eles mudaram várias coisas e alguns personagens também, então, como o próprio subtítulo do jogo fala é uma "nova interpretação" do primeiro jogo para a plataforma da nova geração, e que ao meu ver, deu muito certo!

O legal desse novo Siren, é que a Sony disponibilizou ele através de downloads na PlayStation Store. Ou seja, ficou muito mais fácil de você comprá-lo, porque o preço ajuda e é de fácil acesso. Logo depois, no mesmo ano em que foi lançado na PSN, eles lançaram em Blu-Ray.

Enfim, falando sobre o jogo em sí...
Bem, Siren: Blood Curse é a versão americana do Siren: New Translation, mas, não mudaram nada nele, somente que os menus, documentos e legendas estão todos em inglês, mas as falas continuam originais, então, tem gente falando em japonês e inglês, é uma misturança que só! HUSHUSHUHSU

Um pouco da história...

Siren:Blood Curse conta a história de uma vila rural remota nas montanhas do Japão, chamada Hanuda ("Hanyūda" (em japonês: 羽生蛇村 Hanyūda-mura) na versão japonesa), que é caracterizada por ser tradicionalista e particularmente xenofóbica. Como consequência de um ritual secreto, a vila fica dividida entre o tempo e o espaço, com um infinito mar de água vermelha no lugar das montanhas existentes. A história concentra-se nos esforços de Hisako Yao, a líder de uma estranha religião local, para ressuscitar um extraterrestre conhecido como Datatsushi pelos integrantes da cerimônia secreta. Assim como Datatsushi indiscutivelmente é um alienígena, os métodos utilizados para ressuscitá-lo e os efeitos de sua presença parecem ser sobrenaturais. A sirene do título é a chamada de Datatsushi, a invocação dos residentes de Hanuda para mergulhar-se na água vermelha, criando assim um exército de subordinados chamados "Shibito" (em japonês: 死人 shibito, literalmente "cadáver"). Os Shibitos servem Datatsushi de forma que eles construam um local para ele assim que for finalmente invocado, além de matar todos os humanos restantes em Hanuda. A história é contada através das perspectivas dos dez sobreviventes, alguns dos quais são nativos de Hanuda, que revezam-se fora da ordem cronológica durante os três dias em que acontece o mistério.


História não linear...



Siren: Blood Curse adota uma narrativa não linear, ou seja, não é somente a história iniciada e o resto dela sendo jogado pra frente até acabar, mas também mostra a história antes dos fatos iniciais aconteceram e depois, e também conta a história através de dez diferentes personagens controláveis, assim Siren: Blood Curse tece uma inteligente história que revela eficazmente os mistérios que rodeiam a aterrorizante aldeia japonesa de Hanyuda.
Esse tipo de narrativa lembra o método eficaz de contar histórias do conceituado diretor contemporâneo, Quentin Tarantino (Pulp Fiction e Kill Bill). Mas em Siren, sua complexidade é tanta que foi adicionado um horário em cada capítulo (onde um personagem começa) para permitir a você saber quando os diferentes eventos ocorrem, e decifrar os efeitos que têm em cada evento posterior e com os outros protagonista.



Sendo assim, a jogabilidade é episódica por natureza, te permitindo a abrir os resumos dos eventos que ocorrem num período de três dias de forma surpreendentemente desconexa (por ser tão bem estruturada).
Então, a história pode mostrar primeiro um adolescente que ajuda uma japonesa que não fala inglês a fugir dos shibitos, e de repente no outro capítulo você pode ser uma mãe desesperada tentando ajudar a filha a sair do hospital infestado de shibitos no outro lado da aldeia duas horas antes.

Apesar de alguns personagens nunca se conhecerem no decorrer do jogo, eles tem um estranho "poder" de poder "capturar visões" (literalmente! É uma capacidade de capturar visões de qualquer pessoa ou shibito que estejam próximos. Você pode ver através dos olhos deles).


Gráficos

Os gráficos não são muito bons, mas, se comparados com o Forbidden Siren do PS2, melhoraram e muito!
Siren pode não ter gráficos bons, mas os caras da JapanStudio foram muito espertos. Eles fizeram com que o jogo fosse muito escuro, as vezes nem a lanterna nos salva se for preciso enxergar alguma coisa! E eles fizeram um jogo de luzes e sombras que tornam os gráficos feios em algo aproveitável e bonito! Algumas cenas parecem filmes reais!
O rosto dos personagens ficaram muito reais, os olhos, as bocas, tudo ficaram muito bons, e o cabelo também! O cabelo parece ser algo difícil de se reproduzir em gráficos, assim como a água, mas em Siren, eles ficaram muito bons. Com movimentos, maleaveis, bonitos, brilhosos e em alguns que até parece danificados XD
Vocês tem que dar uma olhada nos gráficos da água, que bonitos que são! Claro, não é a maior maravilha, mas é um dos mais bonitos que eu vi! Eles fizeram um bom trabalho nos gráficos detalhados das casas, paiságens, céu, água, chão, terra. Muito bonito de se ficar adimirando.

O jogo todo tem algumas cores só, parece que eles se limitaram a usar muito amarelo, vermelho, bege e tons pastéis, isso torna os personagens meio amarelados, e isso que deixa o jogo com um aspecto meio que real. Também temos que ver que o jogo é nesses tons, por causa do céu e da água que são vermelhos (por causa do contexto do jogo).


Jogabilidade

Bem, no ínicio você fica meio perdido com a jogabilidade de Siren, mas, acreditem, eles melhoraram horrores a jogabilidade nesse novo título. Porque, experimentem jogar os Forbidden Sirens do PS2, vocês não vão conseguir nem andar direito de tão ruim e travados que eram. Mas em Siren: Blood Curse eles melhoraram tudo!

O jogo continuam com aquele mesmo esquema Stealth, e de ficar olhando pelos olhos dos shibitos e outros personagens. Se você apertar o botão L2, você irá ficar sem movimentação do personagem e irá aparecer uma tela dividida em dois, uma mostra o personagem com um olho meio transparente com cores invertidas em cima dele (?) e na outra tela, inicialmente aparece uma tela cheia de estática, como se fosse uma tv fora do ar. Ai, você aperta R1, e assim sintonizará nos olhos de quem estiver por perto, seja Shibito, seja outro personagem. Você também pode apertar quadrado, que a tela ficará dividida, assim você pode ver a visão dos outros e se movimentar sem problema algum. Embora possa ser muito perturbador (poder ouvir os incessantes gemidos e gritos dos Shibitos quando você está dentro de suas cabeças), a captura das visões permitem você a analisar as suas rotinas e, consequentemente, planejar cuidadosamente o melhor percurso de fuga. E você tem mesmo que fugir; É possível apenas incapacitar temporariamente os shibitos, pois as estranhas forças que impregnam a aldeia fazem com que eles "renasçam" constantemente. Sendo assim, Siren é em grande parte um jogo de espionagem, dependendo muito da observação, paciência e movimentos cuidadosos. Existe alguma ação e um pouco de resolução de enigmas, mas passará a maior parte do tempo a decidir como chegar do Ponto A ao Ponto B. Por vezes, chegar a um portão que está a poucos metros de distância pode demorar um período de tempo relativamente desgraçado!



Contudo, ao invés de ficar aborrecido, o processo de se deslocar em segurança em Hanyuda é quase constante e insuportavelmente tenso. Frequentemente, você se dará por conta de que olhar pelos olhos de um Shibito, sorridente e armado com uma faca, durante vários minutos, controlando cada um dos seus movimentos no esforço de assegurar qual o melhor momento para passar por ele sem ser visto pode deixar você meio biruta. Se vai ocorrer tudo bem ou pessimamente mal não interessa: você ficará num colapso emocional, seja como for!

Trilha sonora...

Bem, a trilha sonora nos jogos são a melhor parte para se falar.
Em Siren: Blood Curs as músicas são ótimas! Se você gosta de trilhas sonoras tensas, ou aquelas músicas que te tocam o coração, chegam a te sufocar, Siren é o que você procura.

É uma mistura de cantos japoneses clássicos, aaqueles bem antigos com cantos de japonesas meio desafinadas e tudo o mais. Músicas bonitas também que parecem cantos de sereias (em especial a Lament), que faz uma espécie de analogia ao canto das sereias, porque, segundo meu amigo James, Siren também significa Sereia (e não só sirene). E isso faz meio que sentido, porque na história conta sobre uma freira que foi amaldiçoada porque comeu carne de sereia achando que ia viver para sempre! huhuhu

Bem, o resto da trilha sonora é produzida por sons de supostos rituais, músicas tensas, vozes dos moradores da vila, e pessoas rezando.

Também tem uma música pop japonesa, que toca quando uma menina shibito, em sua casa, começa a escutar rádio, e a música é bem animadinha, quebrando totalmente o clima de terror mas sem deixar o clima tenso >XD

Nos créditos temos uma música de uma banda desconhecida, chamada ikd-sj, que é uma banda alternativa no Japão. Sei que eu procurei algo sobre ela, mas nem achei nada de interessante, somente o myspace deles.

Bem, o som ambiente é bem tenso também e mistura com os lamentos dos shibitos, muitas vezes! huhuh

Conceito final!

Bem, ao meu ver, o jogo ficou muito bom. Ele é praticamente um exercício mental que faz você treinar sua paciência, e o quão bom você pode ser em fugas furtivas! huhuhu

Siren: Blood Curse foi o melhor dentre os três sirens que sairam. Porque, ter que aturar aqueles dois primeiros foi o inferno! Eu cheguei até a odiar Siren naquela época, mas essa nova versão fez eu revisar meus conceitos!

Bem, o jogo é muito bom em todos os sentidos e você vai ficar tenso e sem paciência alguma em algumas partes, mas ao todo, é um jogo curto e bom!

Ah, o jogo tem uma versão em filme, mas depois eu irei falar sobre ele! :D



Bom, fiquem com o trailer! o/







3 comentários:

  1. Infelizmente,nunca pude jogar nenhum dos jogos,mas gosto muito da serie Siren e fico triste em ver que ela e' a menos conhecida entre as franquias de games de terror. Remakes em filmes raramente funcionam,mas em jogos a historia e'outra: o atualizamente geralmente da certo (RE 1 remake pro game cube,tomb raider:anniversary). Outra coisa boa desta franquia e'o clima assustador q lembra mto fatal frame,mas de um conceito bem mais realista e menos sobrenatural. A narrativa fragmentada tbem cria um certo suspense,pq vc nunca sabe oq esta acontecendo na historia,e um personagem q vc acabou d jogar com ele pode aparecer como zumbi na sua cara. Enfim,imperdivel!!!!! (mas eu nunca joguei xD)

    Quanto a vc ter demorado mto,td bem,mas ultimamente o blog inteiro esta ficando milenis sem postar nada. Agora e'epoca de ferias,certo?? Tomara q venham mais postagens d agora em diante.

    ResponderExcluir
  2. HSUHSHSUSHUHSUHSUHS, pois é, eu mal conseguia entrar nos blogs pra ver como andavam... E eu pensei que ia passar rápido, no fim, nem deu! maldita faculdade!

    Mas Gabriel, se vc conseguir jogar pelo menos o Siren do PS2 já tá valendo. Eu só gostei desse do PS3 HUSHUSHUSHUSHUS

    Mas é um jogo mtu bom. O siren só desconhecido pelo pessoal pq o jogo é meio dificil e deixa a gente sem paciencia, é o ponto fraco dele... Mas, quem joga são apenas os fortes XD

    ResponderExcluir
  3. Tenho lido algumas análises por aí sobre este jogo e posso dizer que a sua foi uma das melhores que o descreveu melhor, dando detalhes de tudo, mas acima de tudo, se preocupando em não dar spoilers do game, não o joguei ainda, mas consegui o adquirir na versão original/japonesa em mídia física lançada exatamente em 24 de Julho 2008 esses dias, poderia até tê-lo comprando/baixado pela PSN, mas sou colecionador do tipo que gosta de ter em mãos onde se pode tocar, admirar a arte da capa e todo o resto que se tem em algo físico e não virtual e/ou digital.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.