19 de jun de 2010

A noite dos mortos vivos

Título original: Night of the living dead
País de origem: EUA
Data de lançamento: 1968
Tempo de duração: 92 minutos
Direção: George A. Romero
Roteiro: George A. Romero
Elenco: Judith O'Dea, Russ Streiner, Duane Jones, Karl Hardman, Keith Wayne, Judith Ridley, Marilyn Eastman, Kyra Schon, George A. Romero, John A. Russo, Charles Craig, Rossie Harris,


Sinopse

Dois irmãos são surpreendidos por zumbis ao visitarem um cemitério. A garota consegue refugio em uma fazendo onde junto com um grupo de pessoas tenta sobreviver a uma noite alucinante.

Vai Lendo !



Continuando com a série de posts sobre filmes que ganharam remakes, e embalando na onda do João do Caminhão resolvi fazer uma postagem dupla com filmes de George Romero.

George Romero não foi o criador do gênero “Filme de Zumbis”, o primeiro foi “White Zombie - Zumbi Branco", de 1932 dirigido por Victor Halperin (que fica para outro dia), mas com certeza foi ele quem criou o arquétipo do zumbi utilizado em diversas plataformas hoje em dia, do cinema ao games. Quase tudo que assistimos, jogamos ou lemos hoje em dia sobre o “apocalipse zumbi” foi criado ou influenciado diretamente por George Romero. Um dos exemplos é a HQ "The Walking Dead".

Neste filme, considerado por muitos o melhor de sua carreira, ele narra a história de dois irmãos, Barbara e Johnny, que vão visitar o tumulo do pai em um cemitério distante da cidade. Durante a visitação ambos são atacados por um homem que a primeira vista se parece mais com um demente do que com um zumbi.

Barbara consegue fugir e busca refúgio em uma casa de fazenda. A casa também é utilizada por outras pessoas como esconderijo. A noite se aproxima e com ela os zumbis. A luta pela sobrevivência se inicia de forma intensa e acaba por culminar em um final original.


Inspirado no livro “Eu Sou a Lenda”, de Richard Matheson, George Romero produziu um filme muito bem realizado e ousado com um orçamento limitado em US$ 114.000. Para baratear custos o filme foi rodado em 35mm integralmente em preto e branco e a trilha sonora utilizada foram musicas “stock music”, ou seja, aquelas da própria produtora para uso gratuito.

Outra solução para a redução de gastos foi rodar um filmes com poucas cenas externas, o filme se passa quase integralmente dentro da casa da fazenda, Romero acaba por criar outro modelo dos filmes de terror atuais o “O terror vem até você.”

O que usualmente no cinema é motivo para a criação de um filme ruim, orçamento baixo, acabou por ser a chave do sucesso de “A noite dos mortos vivos”, a filmagem em preto e branco e a filmagem quase exclusivamente indoor dão ao filme uma sensação claustrofóbica que prende a atenção do espectador.

Romero iniciou uma série de filmes com a mesma temática, alguns sem muito sucesso, e influenciou a criação de dezenas de filmes, quem não se lembra do “A volta dos mortos vivos” de 1985.


Outro ponto interessante é que Romero apresenta, quase na forma de um documentário, uma explicação para seus zumbis neste filme e não volta a abordar de forma definitiva o assunto nos demais filmes, o que deixa a imaginação do espectador buscar sua própria explicação.

O filme teve dois remakes, o "A noite dos mortos vivos" de 1990 produzida por Tom Savini (parceiro de Romero em outros projetos) e "A noite dos mortos vivos 3D" de 2006, devo confessar que não assisti esse último (achei trash demais até para mim).

Ofilme foi lançado em 1968, ano que Martin Luther King foi assassinado e das grandes e violentas manifestações em Washington, Romero coloca como protagonista um ator negro e o apresenta como sendo o único dos personagens que é sensato, não entra em estado catatônico e não parte para cima dos demais por medo ou ganância.

Night of the Living Dead passou para domínio público uma vez que o distribuidor original do filme, the Walter Reade Organization, negligenciou a adição de uma indicação de direito autoral nas cópias. Em 1968, a Lei dos Direitos Autorais dos Estados Unidos exigiu uma notificação apropriada para um trabalho manter um direito autoral. Image Ten apresentou tal notificação nos frames do título do filme abaixo do título original, Night of the Flesh Eaters. O distribuidor removeu a afirmação quando mudou o título.

Extraordinariamente, e porque o filme é classificado como domínio publico, no lugar do trailer o vídeo abaixo é a integra do filme, mas sem legendas.





Curiosidades


- Os efeitos especiais são bem artesanais. O sangue é calda de chocolate Bosco

- Romero produziu o filme com um orçamento de $114.000, e após uma década de relançamentos cinemáticos, faturou cerca de $12 milhões domesticamente e $30 milhões internacionalmente.

Nota: 9,5

Bom passeio no campo crianças !

4 comentários:

  1. Bom texto camarada Coyote. Certamente um clássico que deve ser visto por todos que se dizem fãs de filme de terror...

    Uns dois anos atrás adquiri o DVD lançado em território nacional, que aliás é bem fraquinho, a distribuidora não deu a devida atenção que o filme merece, apresentando como extra um jogo com fotinhas dos zumbis e com quem eles se parecem. Me pergunto quem é que vai querer jogar um jogo estúpido desses...

    Mas um ponto positivo deste DVD é que ele veio em uma luvinha de papelão, e apresenta o filme em duas versões, uma colorida digitalmente e outra original em preto e branco.

    Deveria ter um tratamento melhor, mas custou baratinho e com uma boa procurada nas lojas virtuais se encontra com relativa facilidade. Certamente um título obrigatório para se ter na estante.

    ResponderExcluir
  2. Valew companheiro.

    Infelizmente não tenho esse DVD, tenho o do "Despertar dos mortos vivos" e o "Dia dos mortos vivos" vou procurar, sobretudo essa versão com uma colorizada.

    Infelizmente no Brasil o mercado de filmes classificado pelos criticos como B deixa muito a desejar, somente lançamentos descontinuados e quase sem a distribuição bem feita.

    Para esta semana mais alguma versão original e talvez na sexta um tópico diferente para nossos leitores.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Ah,pelo menos para mim um filme custar pouco naãõ e´ nem de longe causa de filme ruim.... o que vale no cinema e´ a ideia e a historia , o dinheiro gasto e´ irrelevante. Ultimamente,em hollywood,os piores filmes são aqueles que possuem muitos efeitos especiais e pouca historia (quase todos,por isso q,como ja disse antes,só´vejo filmes americanos quando absolutamente necessario,agora). Bom,fazer oq? Hoje em dia,a maioria das pessoas assiste filmes pelos efeitos especiais,a historia e´ deixada de lado. Uma pena....

    ResponderExcluir
  4. @Gabriel
    Concordo plenamente contigo, acho até que quando se trabalha com um orçamento mais apertado pode render resultados melhores, pois aí deve-se buscar soluções aos efeitos especiais sem apelar para o famigerado uso de CGI, e sem contar também que aí o filme vai precisar ter um enredo bem mais sólido para segurar a atenção do espectador.
    Filmes como Evil Dead, Massacre da Serra Elétrica e esse A Noite dos Mortos vivos são verdadeiros marcos no cinema de terror, e eles tem em comum o baixíssimo orçamento e um rendimento milhonário.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.