6 de mai de 2010

Warlock, O Demônio (Warlock)

Título Original: Warlock
País de Origem: EUA
Tempo de Duração: 98 minutos
Ano de Lançamento: 1989
Direção: Steve Miner
Roteiro: David Twohy

Elenco: Julian Sands (Warlock), Richard E. Grant (Giles Redfern), Lori Singer (Kassandra), Mary Woronov (Médium), Kevin O'Brien (Chas), David Carpenter (Pastor), Anna Levine (esposa do Pastor)[+]

Sinopse:
Na Boston do século XVII, homem é condenado à morte acusado de pacto com o demônio. Momentos antes de sua morte, é transportado para os dias de hoje com uma missão: encontrar a bíblia do demônio. Em seu encalço vem um caçador de bruxos disposto a tudo para impedi-lo.


Vai Lendo!



Acredito que todas as pessoas possuem um clássico particular, aquele tipo de filme que 80% das pessoas não lembram, ou se lembram não dão muita importância.
Vou voltar um pouco no tempo para que os leitores entendam a importância de "Warlock" para mim.

Só quem foi criança nos anos 80, sabe como era bom ser criança nos anos 80 (frase redundante, mas verídica). Época de Thundercats, He-man, Comandos em Ação e Jaspion na TV. Não sei se assistir TV nessa época era realmente mais divertido ou se as pessoas eram menos exigentes (aposto mais na segunda opção), mas o fato é que era muito mais difícil acesso ao entretenimento audiovisual, ou você se contentava com o que tinha na TV, ou ia fazer outra coisa. Videocassete (VHS) ainda era um artigo de luxo e pouca gente tinha, minha família sendo bem menos abastada do que é hoje ainda era pior, tinhamos que nos contentar com uma TV preto e branco e uma antena rabo de peixe que só sintonizava três canais.
Embora minha experiência cinematográfica se resumisse em assistir o que passava na TV, ou quando era convidado a assistir algum filme em VHS na casa de vizinhos, eu já éra viciado em filmes.

Então vieram os anos 90.
A bonança veio mais fácil para minha família. Foi a época da primeira TV a cores, e em seguida do primeiro videocassete (ambos estão vivos até hoje). Nessa época alugar filmes virou uma constante em minha casa, parece que era como se quisessemos correr atrás do tempo perdido e assistir a todos os clássicos do cinema.
Eu era sócio da maior locadora de vídeo da minha cidade, praticamente qualquer filme que tivesse vontade de assistir você encontraria lá.
Desde o ínicio passei a demonstrar meu gosto pelos filmes B, enquanto a maioria das pessoas buscavam filmes "bam bam bans"da época distribuídos pelas "mainstreans" Warner Bros e 20th Century Fox, eu buscava os títulos mais obscuros geralmente distribuídos pela Paris Filmes, América Vídeo e Europa/Corat. Se o VHS tivesse aquela capinha de plástico transparente diferenciada (e que se despedaçava toda) era garantia que estaria em meu pacote de filmes. Dessa forma eu assisti uma cacetada de filmes bagaceiros de luta com Dolph Lundgren, Jean Claude Van Damme, Chuck Norris e outros tantos que nem vou mencionar o nome porque ninguém conhece (ou por vergonha diz não conhecer).

Foi também nessa época que meu gosto pelo terror começou a tomar forma, proporcionalmente para cada filme de luta bagaceiro eu assistia três filmes de terror. E mais uma vez eu dava preferência para aqueles distribuídos pela Paris Filmes, foi assim que conheci a série Hellraiser (na época só tinha 2), A Beira do Machado, e um dos meus filmes preferidos e que será objeto dessa resenha: Warlock, O Demônio.


Alguns títulos distribuídos pela Paris Filmes


Warlock, O Demônio, conta a estôria de um homem (o canastríssimo Julian Sands), o Warlock, sendo condenado à morte na Boston do século XVII. Momentos antes de sua condenação se concretizar, uma tempestade se forma e um furacão o leva, transportando-o para o dias atuais (nem tanto assim, o filme é de 1989). Junto com o Warlock, vem também Redfern (Richard E. Grant), que anteriormente havia sido responsável pela captura do vilão.


Já em nossa época, o Warlock descobre através de uma médium (em uma cena de possessão bem legal) que foi convocado pelo próprio Satanás para recuperar sua bíblia, o Grand Grimoire.
Durante sua busca, o caminho do Warlock se cruza com a jovem Kassandra (Lori Singer), o feiticeiro amaldiçoa-a, tomando um objeto pessoal.
Redfern e Kassandra então se unem na caça ao Warlock, Redfern para impedir que o feiticeiro se apodere do Grand Grimoire, e Kassandra em busca de se livrar da maldição.


A estória de Warlock, O Demônio é quase como um Exterminador do Futuro inverso. Temos um vilão e um herói que viajam no tempo, com o Warlock cheio de poderes e truques fazendo o papel do Exterminador (Julian Sands é tão expressivo quanto um robô), Redfern fazendo o papel de Kyle Reese protegendo a mocinha, e Kassandra fazendo às vezes de uma Sarah Connor metida à engraçadinha.


Se a estória de Warlock não é lá essa originalidade toda, a execução da mesma é que torna o filme interessante. A cada parte do Grand Grimoire que o Warlock recupera, ele vai se tornando mais forte, aprendendo novos feitiços (em determinado momento ele aprende até a voar). Em contrapartida, Redfern conhece inúmeros contra-feitiços se tornando um adversário à altura.
Assim segue um interessante jogo de gato e rato até o momento final do confronto entre os dois.


O problema maior do filme, é que em sua proposta ele é um filme de terror, mas na prática isso não funciona, pois em momento algum chega a assustar se tornando mais um filme de aventura sobrenatural (o próprio Exterminador do Futuro é mais assustador que esse).
Apesar disso Warlock é um filme divertido pra caramba, mesmo para os dias de hoje. Conta com efeitos especiais bem legais (para a época claro), uma estória que não é lá muito original, mas é bem conduzida, e personagens carismáticos.


Infelizmente Warlock, O Demônio é um filme pouco valorizado, nunca saiu um DVD oficial em nosso país, e mesmo o DVD lançado nos EUA é paupérrimo e praticamente sem extras nenhum.
Ou seja, se quiser assistir só em VHS, baixado pela internet ou DVD pirata copiado do americano com legendas embutidas em português...


Nota (0-10): 9 (é um filmaço oitentista divertido e bacana, mas não ganha 10 porque faltou terror e suspense, se eu não me assustava na época do lançamento, imagina agora mais de 20 anos depois)


Trailer:



Curiosidades:

-Algumas imagens promocionais do filme, mostravam o Warlock ajoelhado dentro de um círculo, com um galo amarrado em um bastão. Essa cena foi excluída do filme. Mais tarde em uma quadrinização baseada no filme, essa cena reaparece, explicando que o Warlock usava uma espécie bússola para localizar Redfern e Kassandra. No filme os dois são localizados pelo Warlock sem explicação alguma. (infelizmente não encontrei imagens nem da cena do filme, nem dos quadrinhos).

-Originalmente a cena da morte da médium seria diferente, sendo que ela seria congelada, e nos seus seios apareceriam globos oculares, então o Warlock a arremessa no chão e pisoteia o abdómen dela para pegar o globos oculares. Na época os produtores consideraram a cena violenta demais e mandaram regravar.
Um usuário do YouTube recriou com recursos próprios como seria a cena. (confira aqui
)

-A tagline original do filme era: "Satan also has one son" (Satã também tem um filho), fazendo alusão de que o Warlock seria uma espécie de messias do mal, existia uma cena nos trailers de cinema que mostrava claramente isso, mas a cena foi cortada da exibição final.

-O filme, recebeu duas continuações: Warlock II, O Armagedon e Warlock III, O fim da inocência. Nenhuma das continuações tem ligação alguma com o filme original, e Julian Sands só retornou ao papel em Warlock II, Warllock III foi interpretado por Bruce Payne.

-Nos EUA o filme foi exibido com uma duração de 103 minutos, no Brasil a duração foi para 98 minutos.


Espero que tenham gostado! Até a próxima!

11 comentários:

  1. Vou tentar achar esse, mas é uma pena mesmo que no Brasil nem tenham sequer lembrado dos fãs.

    ResponderExcluir
  2. eu era muito pivete... mas me lembro do meu pai ter alugado esse filme
    e a cena do nascimento dele no segundo filme me traumatizou... eu deveria ter uns 6 anos no maximo quando vi
    fiquei impressionado pra c****** na epoca

    ResponderExcluir
  3. @ Wey Di
    Infelizmente os colecionadores de DVD no Brasil são tratados com muito descaso mesmo...
    São tantos títulos legais esquecidos, e sem contar que muitos títulos são lançados porcamente por aqui, tenho em minha coleção Evil Dead, The Gate e Hellraiser, que são edições tão sem-vergonhas, que eu decidi comprar só pra não ficar sem mesmo...

    @Rodrigo Dani
    Pois é, o Warlock II é bem mais violento que o primeiro, tem bastante sangue e bem mais morte. A cena do nascimento é bastante bizarra mesmo, eu quando vi já era grande então não me causou tanto efeito assim, mas se eu fosse criança acho que eu me borrava todo.

    ResponderExcluir
  4. Massa... ohh da minha idade do filme....
    dv ser bom.

    http://sussegadis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Essa nao,isso e' ruim. Mto,mto,mto ruim. Pelo q eu to vendo,o blog parou d novo. Ja faz acho q 1 semana,e sem data pra voltar. Ja e' a terceira vez!!! o.o

    ResponderExcluir
  6. @Gabriel
    Olha se depender de mim, pelo menos uma vez por semana pretendo postar algo...
    Amanhã tem resenha nova (se eu conseguir terminar a tempo)

    ResponderExcluir
  7. Foi em base desse filme que foi criado o jogo Warlock de Super nintendo?

    ResponderExcluir
  8. Na verdade o jogo do Super Nes/Mega Drive foi baseado em Warlock II-O Armagedon. Que por sinal era um jogo difícil de danar (pelo menos pras minhas habilidades na época).

    ResponderExcluir
  9. quando eu tinha uns 12 anos ,meu pai me levava a locadora de video. eu ficava super feliz,por que ele me deixava assistir todos os filmes de terror que eu queria.hoje graças a o meu pai,sou um fã incontrolavel de filmes trash! brigadão pai!

    scaryfiles.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Muito Foda Eu não cheguei a ver o filme na infancia mais jogava no Mega Drive o jogo Zerei aquele jogo depois de muito bem feito aquele jogo! no final voce enfrenta o capiroto! no Inferno muito f***a o jogo!

    ResponderExcluir
  11. Assisti esse filme na falecida Rede OM.
    O filme era totalmente inédito e no dia da estréia o filme foi interrompido. Poucos dias depois soubemos que um raio atingiu os transmissores. Deixando a gente pensando um monte...
    Isso foi em 1991. Na sexta feira seguinte o filme passou sem problemas.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.