29 de abr de 2010

Semum

Título Original: Semum
País de Origem: Turquia
Tempo de Duração: 116 minutos
Ano de Lançamento: 2008
Direção: Hasan Karacadag

Elenco:
Ayça İnci (Canan), Burak Hakki (Volkan), Cem Kurtoglu (Mikail Hoca), Sefa Zengin (Raci), Bahtiyar Engin (Macit), Nazli Ceren Argon (Banu), Yildirim Öcek (Emlakçi), Hakan Meriçliler (Dr. Oguz), Levent Sülün (Ali).

Sinopse: Jovem e feliz casal turco Volkan e Canan, se muda para uma casa nova, no entando Canan passa a apresentar um comportamento cada vez mais estranho, aos poucos ela vem sendo possuída pela entidade demoníaca Semum.




 

Vai Lendo!



Antes de começar minha resenha, vou contar uma coisa que me aconteceu uns dias atrás. Eu trabalho de madrugada e meu local de trabalho é praticamente deserto depois das duas horas da manhã, o que é bastante propício para umas horinhas de jogatina no meu PSP.

Estava eu jogando Silent Hill Origins, e todo gamer sabe que a série Silent Hill é famosa pelo seu clima tenso e assustador, mas esse SH Origins eu achei o mais fraquinho dos que eu joguei...

Enfim, estava no estágio do hospital psiquiátrico e acabando de entrar por uma porta, a câmera ficou bem de frente para Travis (o protagonista do jogo), apertei o botão para ajustar a câmera para as costas do personagem e ao fazer isso pula na frente da câmera uma imagem horrorosa da cara de Travis toda deformada, tomei um susto desgraçado e por pouco não jogo o PSP longe! Depois de alguns minutos de pesquisa na internet, descobri que o game tem um bug, e volta e meia jogadores relatam se assustar ao apertar o botão de ajuste de câmera.

Traduzindo em miúdos: curiosamente o único momento do jogo em que senti medo foi graças a um defeito do mesmo.

Certo mas o que isso tem a ver com resenha do filme Semum?
Ao assistir a um filme de terror, o mínimo que se espera é que você sinta um pouco de tensão, e se o filme for realmente bom você em algum momento vai sentir medo correto?

Pois bem, ao assistir Semum a única coisa que não senti foi medo. Na verdade o único momento em que me assustei não foi por causa das qualidades do filme, e sim porque no meio da reprodução o meu computador se desligou sozinho, originando assim um "sustinho" (detalhe: esse sustinho foi em escala 5 vezes menor que a do PSP).

Ou seja mais uma vez ao participar de um atividade de entretenimento que deveria causar medo, fui assustado por um fator externo e não exatamente por aquilo que deveria ser a fonte do susto.

Depois das boas recepções a respeito da minha primeira resenha, minha intenção era mais uma vez trazer alguma dica de filme legal não convencional, o que infelizmente não vai acontecer dessa vez.
Após ler várias opiniões positivas a respeito de Semum e ver sua ficha no IMDB na qual a grande maioria dos usuários elogiou, procurei o filme na esperança de mais uma jóia rara escondida.

Se alguém pretende ver o filme sugiro que pare de ler por aqui, porque como sou um cara bom e pretendo poupar os incautos da mesma curiosidade mórbida que tive vou dissecar o filme até o final.

Segundo a crença islâmica, antes de Adão e Eva pisarem na Terra, o nosso mundo era habitado por demônios chamado Semum, após a chegada do ser humano, os Semum se aliaram ao Diabo contra os homens.

Semum é supostamente baseado em fatos reais (difícil de engolir) e conta a estória do casal Volkan (Burak Hakki, que curiosamente é a cara do ator Gerard Butler) e Canam (Ayça Inci) que se mudam para uma nova bela casa. Logicamente por se tratar de uma produção de terror coisas estranhas vão acontecer.


Gerard Butler e seu irmão gêmeo turco Burak Hakki: This is Spartaaaa!

 O filme começa com uma prece de Semum contra Deus e os homens, após isso então vemos nosso casal feliz em companhia de um corretor de imóveis em busca de sua tão sonhada casa nova.
Desde o início coisas estranhas já acontecem, com o jardineiro aparentemente maluco Raci (Sefa Zengin) perguntando grosseiramente o que eles querem ali. 

Após a compra da casa, aparece um vizinho, também amalucado reclamando que Canan está espalhando pedaços de carne em seu quintal. Raci aparece e alerta sobre o vizinho, sua esposa está desaparecida e o cara é suspeito pela polícia. 

Canan passa a observar o tal vizinho, e de noite ele leva sacos de lixo para dentro do carro em uma atitude bem suspeita (me lembrei na hora do filme Revelação). A partir daí Canan começa a ver vultos dentro de casa, ter pesadelos, etc..., enquanto isso sua paranóia em relação ao vizinho aumenta.



Uma "bela" maquiagem digital.

 Até mais ou menos a metade do filme segue dessa forma, o problema mesmo vem depois da primeira aparição do demônio Semum. O diretor Hasan Karacadag optou por usar uma criatura mal feita em CGI que é a cara do Eddie (mascote do Iron Maiden), e a partir desse ponto a coisa toda desanda de uma maneira terrível, o excesso de CGI mal feito estraga o filme de tal maneira que não tem mais volta.

Semum vem atormentando os fãs do Iron Maiden há 30 anos! Run to the hills! 

Pra resumir a estória, com os acessos de Canan cada vez piores, Volkan passa a leva-la a um psiquiatra, e como isso não resolve o amigo Ali (Levent Sülün) conta a estória dos Semum sugerindo a visita de um exorcista.

Eu já vi essa cena em algum lugar antes...

Seguimos então com o exorcista investigado e descobrindo a causa da possessão de Canan (essa foi a melhor parte do filme), depois partindo para o exorcismo e livrando a moça do mal. Mas não para por aí, segue então para a cena mais ridícula do filme todo:

O exorcista é levado por Semum até o inferno (mais CGI mal feito) onde enfrentará não um Semum, mas um batalhão deles! Ele se livra do mal com uma prece e é cercado por uma energia verde (!!!) que despedaça os Semum (Santa criatividade Batman).

Considerações finais:
 
O filme me pareceu muito pretencioso, o próprio diretor declarou que tentou criar um modelo de terror turco, e que seu filme faria o mundo reconhecer esse padrão (algo mais ou menos parecido com o que "O Chamado" fez pelo filmes asiáticos). Ainda declarou que Semum seria comparado a "O Exorcista" e Ayça Inci (Canan) seria comparada a Linda Blair (pretencioso não?). Na verdade o que Hasan Karacadag fez foi colocar dentro de um liquidificador um punhado de filmes norte americanos e mais um bom tanto de CGI porcas, o resultado final foi Semum.

Nota (0-10): 4 (já vi filmes piores, Semum até começa bem, mas se perde no meio de tanta bobagem)

Trailer:


Até a próxima pessoal!
 

12 comentários:

  1. João, quanto ao SH 0rigins, infelizmente ele é assim mesmo, não assusta nem te deixa tenso como os anteriores. Mas acredite, o Shattered Memories é MUITO pior, nem mesmo a atmosfera do jogo lembra Silent Hill. Então, fikdik: caso decida algum dia, jogue Shattered Memories como uma opção derradeira, se não tiver absolutamente nada melhor pra jogar :P

    Agora, ao filme. O trailer, pelo que vi, mostra logo de cara as "melhores" cenas do filme (se é que existe alguma).
    O demônio em CGI ficou no mínimo irrisório, tem muito jogo por aí que faz muito melhor com bem menos gráfico XD

    Deu pra reparar mesmo que o filme é uma mistureba de coisas que a gente já cansou de ver. Logo pela resenha eu senti um "Q" de dois filmes: Alma Perdida (por ter exorcismo e demônios de uma cultura diferente) e Evocando Espíritos (casal muda pra casa e alguém começa a ficar possuído). Isso pra não citar O Exorcista, que fica mais óbvio que tudo.

    Esse pode ser um caso como o de "Mangue Negro", produtores iniciantes ou algo do tipo (embora não pareça). O folclore de outros países e culturas é muito interessante, mas os produtores deviam se preocupar mais em passar a mensagem ou deixar os espectadores presos ao filme, ao invés de encher de (d)efeitos especiais. Isso sem contar os clichês, que destroem qualquer filme.

    Por fim, ainda bem que nunca assisti isso. E ainda melhor você ter postado uma resenha sobre ele, assim poupa nosso sofrimento (claro, levando em conta que é sua opinião, mas isso ao menos já nos abre os olhos :D).

    ResponderExcluir
  2. Cara!! Ce não sente medo jogando Silent Hill Origins ?? Putz, me cago de medo com qualquer SH, engraçado, rarissimos os filmes que me deram medo ou tensão ate hj, porem com jogos...com jogos quase morro, acho entro demais no jogo, fica sendo como se realmente fosse eu que estivesse lá, acho que com isso fico com medo ate de jogar Super Mario kkkkk
    Em relação ao filme, achei interessante o fato do filme ser de um pais que nunca vi qualquer filme. Devido a isso não li o post inteiro pois pretendo me arriscar por curiosidade em assistir o filme.
    Mas com certeza vou ler o post inteiro assim que assistir!
    Um abrço a tds!

    ResponderExcluir
  3. Primeiro, eu tbem ja zerei Silent Hill Origins e acho ele mto assustador. Foi o unico da serie q eu joguei,mas mesmo assim me deixou grudado no sofa da sala. Akelkas cenas do sanatorio com os bichos invisiveis,e no teatro com os bonecos andando no teto sao arrepiantes. Cheguei a ter pesadelos por causa desse jogo.

    Quanto ao Semum,nunca vi e sei q vai ser dificil d encontrar. Alem disso, nao gosto d filmes q envolvem o capeta,nunca me assusto com eles e sao quase sempre a mesma historia. O unico q eu tive medo foi o Exorcismo d Emily Rose. O interessante e' q olhei no imdb e mta gente gostou,mas esse diretor foi arrogante demais. Os diretores de O Chamado ou Sexta Feira 13 nao pensavam em criar um novo genero,queriam apenas fazer bons filmes. Foi por isso,acho,q (para vc) esse filme foi um fiasco. Mas se eu achar vou ver,pelas fotos q eu vi nao achei a CGI tao porca assim, ainda mais para um filme feito na Turquia.

    ResponderExcluir
  4. @ James
    Eu joguei o Shatered Memories e gostei, mas com resalvas o jogo é muito fácil, mas gostei primeiro porque renovou a série, fez algo diferente, por exemplo achei muito boa a idéia de usar o celular para resolver enigmas. Mas o problema mesmo é que tem pouco valor como jogo, eu encarei mais o Shatered Memories como um filme interativo. Gostei muito do final Normal.
    Quanto ao filme, é realmente difícil você ser imparcial, por mais que você se apegue em detalhes técnicos, no final sempre acaba pesando o gosto do espectador. Tem filmes que muita gente odeia e eu gosto e vice e versa.
    O bom mesmo é sempre assistir se estiver curioso, mesmo que algum crítico, resenha, amigo, etc fale que o filme é uma droga.

    @Leckard
    SH sempre tem seus momentos de tensão, mas achei o Origins muito fraquinho, talvez pelo personagem não ser lá muito carismático, ou talvez porque Origins é mais do mesmo. Mas concordo em muitos casos é mais fácil você sentir mais medo jogando do que assistindo, é realmente como se você entrasse na pele do personagem, o nível de interação é maior.

    @Gabriel
    Semum foi até relativamente fácil de encontrar (Google nele)não posto os links porque não é esse o objetivo do site. Realmente me decepcionei muito pelas declarações do diretor, e pelas opiniões dos espectadores, e das resenhas de outros sites. Esperava um filmão. Mas o que mais me indignou foi o mal uso do CGI, eu acredito que em um filme assim, o que conta é o bom uso do talento dos atores e uma estória coesa. Nesse caso o pecado maior foi querer mostrar algo que teria sido mais assustador se fosse apenas sugestionável. O Exorcista original em momento algum precisou mostrar a cara de Pazuzu para apavorar pessoas no mundo inteiro.

    No mais agradeço os comentários de todos.

    ResponderExcluir
  5. Me esqueci de perguntar, vocês que jogaram SH Origins também chegaram a precensiar o bug da câmera?

    ResponderExcluir
  6. Apesar de ter jogado Silent Hill Origins duas vezes (embora so' tenha zerado uma) nunca presenciei esse bug da camera. Faz parte da minha natoreza,acho: raramente mudo a camera d um jogo,deixo sempre como esta. Bom,tlvz vc nao tenha se assustado com o Origins pq a tela e' pequenininha,e dizem por ai q quanto maior a tela maior o medo (e eu concordo). Mas mesmo assim acho q foi um bom jogo,pela historia legal e pelos sustos q teve. Foi o primeiro jogo da serie para o PSP,afinal , e aposto q daki a pouco vem mais. Mas inventaram uma historia legal e coerente q faz sentido em explicar os misterios dos outros jogos,a meu ver.

    Quanto ao Shattered Memories, acho q alguns,como o James Sunderland,odiaram pq o jogo se afasta bastante dos outros da serie. Ao inves de um clima assustador para botar medo,o jogo usa um terror pssicologico,um misterio,para fazer ligacoes com o personagem e entender a surpreendente historia. Considero um bom jogo mesmo nao tendo jogado ainda (mas tenho wii) mas q podia ser melhor,pois era possivel fazer o jogo assustador e misterioso ao mesmo tempo,e nao uma coisa ou outra.

    ResponderExcluir
  7. João, esse bug do 0rigins não é exatamente um bug (se for o que eu estou pensando). Isso acontece no PS2 também, quando você usa o botão de ajuste de câmera e o ângulo fica bem atrás da cabeça do Travis. Você acaba vendo os polígonos da cabeça dele por dentro, inclusive os olhos xD
    Isso também acontece com um dos Tomb Raiders, não lembro se o Legend ou o Anniversary.

    O 0rigins se saiu razoavelmente bem, a atmosfera do jogo convenceu em algumas partes, especialmente no final do jogo (quando tudo fica enferrujado e as músicas lembram bastante os jogos anteriores). Só acho que poderia ter sido melhor aproveitado e usar mais o psicológico (sustos não combinam muito com SH).

    Como bom fã(nático), detestei o Shattered Memories porque ele falha miseravelmente no quesito "horror" (não tem uma parte tensa sequer) e pior, falha no objetivo principal dele: ser um Silent Hill.
    Se ele tivesse saído como outro jogo qualquer (inclusive com outro nome) seria bem melhor, a proposta do perfil psicológico era inédita, mas o erro foi colocar Silent Hill no nome. Não vou me prolongar muito, quem quiser é só ler a crítica que fiz no meu site (o link aí do meu nick ;D)

    Antes que digam que sou fanboy ou algo do tipo, a prova de que não é necessário ser algo novo pra criar tensão em um jogo é que acabei de terminar (de novo) o Alone in the Dark The New Nightmare. Já fiz isso várias vezes e em todas elas o jogo consegue ser tenso, mesmo eu já sabendo tudo o que vai acontecer. Mas enfim, isso também é questão de gosto ;)

    ResponderExcluir
  8. Cara, quando joguei não vi esse bug da camera naum, e olha que eu mexo bastante na cam. Bem, do jeito que fico jogando isso, acho que se eu visse o tal Bug, eu já não estaria mais entre os vivos kkk
    Um abraço a Tds

    ResponderExcluir
  9. curti o Iron Maiden hahahahahhaha
    massa o filme e meio sem noção né ahahhhaa

    ResponderExcluir
  10. @Rafael
    Pelo menos alguém comentou sobre os meus quadros comparativos!

    Acho que eu devia era ter feito um post falando só sobre SH Origins...rsrs
    Cadê os resto dos leitores pra falar do filme??

    ResponderExcluir
  11. eu achei o filme péssimo. Ele, bem, é pior que aquele filme oriental chamado "corpo 9" (acho que é isso).

    A história é boa até, nunca vi filme nenhum da turquia, então, posso dizer que eles se sairam bem até, para um filme de terror. Tá melhor que aquele tosco do "mangue negro" bs/

    Bem, sobre SH que o pessoal tá comentando ai...
    Meu, joguem só os 4 primeiros. O resto é resto MESMO!
    No meu blog tem uma resenha bonita em vídeo (bem chique) falando sobre o SH:SM!

    E gente, tenham medo de SH3, não de SH0...

    ResponderExcluir
  12. É engraçado como às vezes a gente encontra aquilo que sempre esteve procurando sem ter idéia nenhuma que estava logo ali na esquina.

    Cruzei com o blog de vcs uns dias atrás, não me lembro direito como mas o que me chamou a atenção foi o título "Semum", um filme que eu havia acabado de baixar mas não tive disposição pra assistir até o final por razões que já foram deixadas bem claras nesse review, mas acho que no final das contas eu devo agradecer esse filme por me trazer a esse blog!

    Eu tenho 21 anos e só há pouco tempo peguei gosto pelo gênero, em especial os clássicos obscuros, mas a verdade é que eu ainda acho bem difícil pra quem descobre esse amor por filmes de terror tão tarde ter contado com muito material que pode parecer fundamental pra quem cresceu acompanhando tudo isso ali logo que as coisas saíam do forno, VHS ainda sem chiado.

    Resolvi começar lá do começo, O Gabinete do Dr. Caligari e tudo mais, brigando com o preto e branco como quem aprende a gostar de Blues, mas ainda tem tanta coisa que eu não conheço, e é por isso que eu estou tão feliz em encontrar um lugar assim com tanta gente que gosta das ovelhas negras do cinema, e talvez agora eu finalmente possa conhecer de verdade tudo que há de bom por aí.

    Abração pra vcs.

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.