24 de fev de 2010

Carrie, A Estranha (Carrie)

Título Original: Carrie
País de Origem:
EUA

Gênero:
Terror

Tempo de Duração:
98 minutos

Ano de Lançamento:
1976

Estúdio/Distrib.:
United Artists / MGM

Direção:
Brian De Palma


Elenco: Sissy Spacek (Carry White), Piper Laurie (Margaret White), Amy Irving (Sue Snell), William Katt (Tommy Ross), John Travolta (Billy Nolan), Nancy Allen (Chris Hargenson), Betty Buckley (Srta. Collins), P.J. Soles (Norma), Priscilla Pointer (Sra. Snell), Sydney Lassick (Sr. Fromm), Stefan Gierasch (Sr. Morton), Michael Talbott (Freddy).

Sinopse

Carry White (Sissy Spacek) é uma jovem que não faz amigos em virtude de morar em quase total isolamento com Margareth (Piper Laurie), sua mãe e uma pregadora religiosa que se torna cada vez mais ensandecida. Carrie foi menosprezada pelas colegas, pois ao tomar banho achava que estava morrendo, quando na verdade estava tendo sua primeira menstruação. Uma professora fica espantada pela sua falta de informação e Sue Snell (Amy Irving), uma das alunas que zombaram dela, fica arrependida e pede a Tommy Ross (William Katt), seu namorado e um aluno muito popular, para que convide Carrie para um baile no colégio. Mas Chris Hargenson (Nancy Allen), uma aluna que foi proibida de ir à festa, prepara uma terrível armadilha que deixa Carrie ridicularizada em público. Mas ninguém imagina os poderes paranormais que a jovem possui e muito menos de sua capacidade vingança quando está repleta de ódio.



Pela primeira vez no VA colocarei o link "continue lendo". Acontece que esta postagem ficou enorme, enorme demais para ficar inteira na página inicial sem incomodar quem quer chegar até o final do blog =P. Pretendo fazer isso a partir de agora, mas antes gostaria de saber a opinião dos leitores. Vocês acham que o link "continue lendo" ajudaria ou pioraria a leitura no blog? Comentem, por favor



Vai lendo!



Carrie foi o primeiro romance do Stephen King e quase não chegou a ser publicado. King jogou as páginas que havia escrito no lixo, mas graças a sua esposa, Tabitha, que recolheu as páginas do lixo e incentivou o marido a continuar, ele terminou a história, que um tempo depois foi publicada e começou a fazer sucesso. Carrie também foi o primeiro livro de Stephen King que ganhou uma adaptação cinematográfica.

O primeiro livro de Stephen King que li não que tenha lido muitos, foi justamente Carrie. Apesar de ser uma história "curta" (o livro tem apenas aproximadamente 180 páginas) e rápida, é realmente impressionante. Vejo muitos falarem que a história é boba. Discordo totalmente disso. Se fosse tão boba assim, porque já foi copiada por vários outros filmes, novelas e seriados? Boba para alguns, mas o fato é que ninguém havia pensado em tal história anteriormente. E o livro, na minha opinião, é ótimo! A história é intrigante, nos envolve do início ao fim. Também é triste, triste mesmo. No final do livro ficamos com a sensação de "e se nada tivesse acontecido no baile? Por que não deixaram Carrie curtir seu primeiro baile?". É triste ver como tudo ocorre e por outro lado é interessante.



O filme "Carrie, A Estranha" de 1976, dirigido por Brian de Palma (Irmãs Diabólicas, Scarface, Femme Fatale, Missão Impossível, etc.), é considerado por muitos um clássico do suspense (ou terror, como preferir). Algumas situações que ocorreram no livro, poderiam ter sido adaptadas para o cinema, pois eram situações importantes. Por outro lado, algumas cenas acrescentadas no filme, que não haviam no livro, ficaram muito boas! Analisando todo o conjunto, gostei do filme.

Ao contrário de O Iluminado (1980), o filme Carrie foi um pouco mais fiel ao livro e as cenas acrescentadas não ficaram idiotas, muito pelo contrário, deixaram a história melhor ainda. As atuações convencem, embora o elenco "adolescente" (só no filme, pois os atores de verdade, pelo que pesquisei já tinham mais de 21 anos) tenha sido fraco. Na verdade, as atuações que mais chamam atenção é de Piper Laurie (Margaret White) e Sissy Spacek (Carrie White). As duas foram brilhantes, principalmente Piper Laurie, que interpretou de maneira marcante e extremamente convincente a mãe fanática religiosa de Carrie.



A trilha sonora é boa, só não gostei do barulho irritante que faz quando Carrie manifesta seus poderes psíquicos (sei que muitos acham que isso é a marca registrada do filme, porém achei desnecessário). ¬¬' Alguns efeitos, para a época, deveriam ser bons, mas assistindo hoje sem dúvidas consideraremos "tosquinhos".
O figurino não é grande coisa... roupas típicas dos anos 70 que acho horríveis. Algumas conversas são um pouco desnecessárias e a seqüência em que Chris Hargensen
(Nancy Allen), Billy Nolan (John Travolta) e mais dois amigos deles vão matar um porco, ficou mal explicada. Digo, de repente o filme pula para aquela cena, porém em momento algum foi enfatizado o enorme ódio que Chris fica de Carrie White (na verdade ela parece ter muito mais raiva da professora de educação física do que da pobre Carrieta White). No livro, esse ódio, mais o planejamento de uma vingança, são melhores explicados.



Em falar mais uma vez no livro, existe também o Carrie de 2002 (aquele que vive passando no SBT, clique aqui e assista o trailer) . O filme é tosco pra caramba , mas tem muitas coisas mais fiéis ao livro (e outras nem tanto). E falando da versão de 2002 e do livro, outra coisa que me chamou atenção foi as atrizes que utilizaram para interpretar Carrie. No livro, Carrie é descrita como uma menina MUITO feia. Desajeitada, com roupas estranhas e cheia de espinhas na cara. Porém, ela fica muito bonita na formatura. Acontece que Sissy Spacek, apesar de ter um rosto levemente estranho, é bonita. Logo, Carrie é bonita desde o começo do filme e tem um cabelo de dar inveja, e no baile está mais bonita ainda! Então não há muito aquela surpresa no baile de "ooh, ela está linda!", pois na verdade, ela nem muda muito. Já no filme de 2002 Carrie é realmente feia no começo, e quando chega o baile... continua feia! Também não há mudanças! Poderiam ter feito uma maquiagem para que a atriz que interpretasse Carrie parecesse mais feia inicialmente e no baile ficasse linda. Já que isso não foi feito em nenhuma das duas versões, se fosse pra escolher uma Carrie mais fiel ao livro, prefiro a de Sissy Spacek, pois além de uma melhor atuação, consegue ficar realmente bonita no baile huahuahua.




Carrie de 1976. Antes e durante o baile. Ao meu ver, apenas mais arrumada.


Carrie de 2002, também antes e durante o baile. Não era pra ela ter ficado bonita no baile?

Mas sem dúvidas, o que mais chama atenção no filme é a maneira como foi filmado. Vários ângulos de câmera legal e no final, a tela dividindo-se em várias e mostrando vários acontecimentos ao mesmo tempo, ficou show! Gostei muito dessa parte, mesmo ela não sendo tão intensa como no livro. E o final, que também não é igual ao do livro, adorei! Gostei do final do livro e do final do filme.



Enfim galere, entendam que é um filme antigo e não possui aqueles super ultra mega efeitos epeciais. Mas a história é boa e me agradou muito por ser razoavelmente fiel ao excelente livro.


Nota (0-10):
8,5 (é muito bom, porém não é maravilhosamente maravilhoso)
.

Trailer






Principais prêmios e indicações


Oscar 1977 (EUA): Recebeu duas indicações, nas categorias de melhor atriz, para Sissy Spacek, e de melhor atriz coadjuvante, para Piper Laurie.


Globo de Ouro 1977 (EUA): Recebeu uma indicação na categoria de melhor atriz coadjuvante, para Piper Laurie.


Avoriaz Fantastic Film Festival 1977 (França): Brian de Palma recebeu o Grande Prêmio.


Prêmio Edgar 1977 (Edgar Allan Poe Awards, EUA): Indicado na categoria de melhor filme.




Curiosidades


- A atriz Sissy Spacek não estava cotada para o papel de Carrie White, até que o diretor de arte de Carrie, A Estranha e também seu marido Jack Fisk solicitou uma audição para Spacek, a fim de que ela pudesse participar do filme. O diretor Brian De Palma gostou tanto da audição de Spacek que resolveu dar a ela o papel principal do filme.


- Este é o 1º de 4 filmes em que o diretor Brian De Palma e a atriz Nancy Allen trabalharam juntos. Os demais foram Terapia de Doidos (1980), Vestida para Matar (1980) e Um Tiro na Noite (1981).

- Betty Buckley, que em Carrie, a estranha atua como uma professora de ginástica, interpretou a mãe de Carrie na versão musical para o teatro norte-americano.

- O nome da escola de Carrie é "Bates High", uma referência proposital do diretor Brian De Palma a Norman Bates, principal personagem do filme Psicose, de Hitchcock.


- O rapaz da bicicleta que zomba de Carrie é Cameron de Palma, o sobrinho de Brian de Palma.


- Esse é o segundo filme de John Travolta,que na época pegou papel sem destaque e não passava de um mero jovem desconhecido, mas logo logo fez sucesso em Saturday Night Fever (Os Embalos de Sábado a Noite).


- Em 2002, uma refilmagem de TV foi lançado, estrelando Angela Bettis, Emilie de Ravin e Patricia Clarkson.


- Em 2006, no primeiro episódio da 3a. temporada da série Lost, a personagem Juliet aparece com um grupo de leitura conversando sobre o livro que deu origem ao filme.


- O roteiro de Carrie, A Estranha dizia que a casa dos White seria destruída por uma avalanche de rochas. Como os produtores e o diretor Brian De Palma não conseguiram rodar a cena como desejavam, resolveram mudar esta cena, fazendo com que a casa fosse destruída por um incêndio.


- As personagens Sue Snell e sua mãe foram interpretadas por mãe e filha também na vida real. No caso, Sue era Amy Irving e a Sra. Snell era Priscilla Pointer.


- 23 anos após seu lançamento estreou nos cinemas americanos A Maldição de Carrie
, continuação de Carrie, A Estranha (clique aqui para ver o trailer).



Fontes Wikipedia e Adoro Cinema.




Principais diferenças entre livro e filme (Contém SPOILER)



As informações abaixo foram retiradas do DVD com alguns comentários feitos por mim em itálico. Recomendo ver os extras do DVD, são muito bons.


Não aparecem no filme:


- As informações sobre os antecedentes dos personagens, incluindo: Carrie quando menina, criando uma chuva de pedras durante um acesso de raiva, o desejo de sua mãe de matá-la, quando percebeu o poder que tinha a filha e o relacionamento entre Chris Hargensen e seu pai poderoso e rico (ele ameaça o diretor da escola, após terem expulsado Chris da festa de formatura). Isso tudo seria muito interessante para a história do filme e foi uma pena não terem acrescentado.


- A investigação com o testemunho de Sue Snell e a estrutura jornalísitca geral do livro. Ficou muito legal no livro, mas realmente seria difícil fazer algo do tipo com apenas 2 horas de filme.


- Os poderes de Carrie foram diminuídos no filme - por exemplo, no livro ela destrói quase a cidade inteira. Essa parte é excelente no livro! Gostaria que o filme tivesse essa seqüência também, é minha parte preferida.


- Carrie mata Chris e Bill no carro, depois de matar sua própria mãe.


- A conexão psíquica entre Carrie e Sue no final do livro.


- Um epílogo sugerindo outra criança nascida com os mesmos poderes paranormais de Carrie. Quando li não aceitei bem essa parte. Achei meio clichê, não sei... Foi melhor não terem colocado isso no filme.


- No livro Carrie causa 409 mortes "com 49 vítimas ainda desaparecidas".


Acrescentado ao filme:


- Vários novos personagens - incluindo a mãe de Sue e outros adolescentes.


- A morte da Senhorita Collins: no livro, ela sobrevive, mas demite-se. Achei meio chato ela ter morrido no filme... coitada, era uma boa pessoa.


- A morte de Margaret White; no livro, Carrie causa um ataque cardíaco em sua mãe. Gostei da maneira como a mãe morre, tanto no filme quanto no livro. Achei a versão do livro mais emocionante, porém a do filme ficou bem criativa.

- O pesadelo de Sue, no final.
Adorei isso! huahua Um sustinho final só pra deixar esperto...


16 comentários:

  1. Carrie a Estranha realmente é um clássico, um filme muito bom mas que com certeza se visto hoje em dia vai parecer fraquinho nos efeitos que não chegavam a ser uma maravilha pra epoca. Porem a história é interessante, ela te prende, mas foi copiada demais...resultado, aqueles que nunca viram vão achar que já é uma história manjada, mas lembrem-se, essa é a primeira!

    Em relação aos posts eu achei uma boa ideia deixar o link "continue lendo" pois assim fica mais facil algumas pessoas encontrarem filmes que ainda não tenham assistido sem ter que passar varias paginas. Pra mim em particular tanto faz, pois gosto de ler as analises seja de um filme que eu tenha visto ou não.

    Um abraço a tds

    ResponderExcluir
  2. Esse filme é um classico, não sei como tem gente que não gosta! Pra mim q sou fanatica por filmes de terror é uma obra indispensavel, mesmo não seguindo fielmente o livro ainda assim ficou um filme muito bom!!

    ResponderExcluir
  3. "Se fosse tão boba assim, porque já foi copiada por vários outros filmes, novelas e seriados?"

    A vai! Então crepúsculo não é uma historinha boba.

    ResponderExcluir
  4. Leckard

    Exatamente isso! A história já foi tão copiada q quem assiste o filme pela primeira vez, não acha grande coisa...¬¬'

    Então, o "continue lendo" deixaria o blog mais rápido e a pessoa pode escolher ler somente aquilo q a interessa. Obrigada por deixar sua opinião Leckard. É mto bom saber a opinião dos leitores.

    Ariana

    Também gostei mto desse filme. Creio que alguns não gostam pq o filme é antigo e não possui todos aqueles efeitos especiais de filmes modernos... Mas sem dúvidas é um bom filme!

    Salem

    E Crepúsculo já foi copiado várias vezes?
    Primeiro que história original o Crepúsculo não tem (pois afinal, quantos filmes de vampiros não existem por aí? E quantos filmes de romances adolescentes bobos já não existiam antes dele?), segundo que um filme teenager ser copiado hj por novelinhas e filminhos de quinta nem é grande novidade (por acaso Malhação já não copiou o High School Musical?).

    Na minha opinião, Crepúsculo já é copiado por outros motivos e não por ter uma história brilhante e diferente.

    Já Carrie não teve exatamente sua história copiada, mas sim suas idéias: adolescente feia e desajeitada, uma fanática religiosa, uma grande vingança, uma perdedora dando a volta por cima, uma feia ficando bonita... Vai falar que essa idéia "Carrie" já não foi copiada várias vezes?! Por isso que eu digo, se fosse uma história tão boba, uma idéia tão fraca, pq as pessoas gostam tanto de copia-la?

    ResponderExcluir
  5. Certo dia eu li por aquí sobre Zubilândia e achi o filme...

    foi ótimo!

    tem uma história de filsofia naquilo tudo!

    e esse parece ser muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Ninne, deixe o "Leia mais" sim, o layout da página principal do blog fica bem mais enxuto (e o banner com o Garfield avisando do post gigantesco foi ótimo, use sempre também xD).

    Eu infelizmente (VERGOOOONHA!) ainda não li nem assisti Carrie T_T
    Preciso assistir urgentemente, pra poder opinar com mais "propriedade" :P

    A premissa de Carrie, pra mim, nunca soou deslocada ou tosca. É algo teoricamente banal, uma pessoa ridicularizada na escola, mas que se revolta de uma maneira nada convencional. Tem até outro material que também fala sobre uma menininha que tinha poderes psicológicos, a ponto de transformar uma cidade inteira... la la laaa... XD

    Considerar os efeitos toscos por serem antigos seria no mínimo falta de senso. Poltergeist é um filme ótimo, O Exorcista também, e por acaso algum deles tem efeitos perfeitos? Os recursos da época não permitiam, eles fizeram o melhor (ou não, quem garante...) com o que tinham.

    Comparação com Credúsculo eu nem arrisco, são gêneros tão distintos que nem tem como. Coisas e ideias bobas são copiadas o tempo todo, e são bobas dependendo da pessoa que a analisa. Eu acho bobo o tipo de terror que usam em Pânico (grupinho de adolescentes e serial killer) e Jogos Mortais (mutilação física), mas quantos nhentosmil flmes não copiaram? Enfim, é isso.

    Agora vou ver se acho Carrie por aqui, preciso assistir! Ótimo post e ótima análise! ;)

    ResponderExcluir
  7. olha,eu acho q realmente deveriam ter colocado uma maquiagem na Carrie de 76 antes do baile para ficar feia,e tbem na de 2002 durante o baile para faze-la ficar bonita.eu ja vi os dois filmes , e ,como (quase) sempre,o original é mto melhor. o d 2002 é mto tosco,naum da medo e as atuações saum um lixo.a unica coisa boa nele é q é mais fiel ao livro.

    ResponderExcluir
  8. Gabriel,tanto a 1ª como a 2ª versão não prestam...Bom mesmo é o livro!

    ResponderExcluir
  9. EXCELENTE FILME! FIZ QUESTÃO DE COMPRAR O DVD PARA TÊ-LO PARA SEMPRE E PARA QUE TODOS OS PARENTES E AMIGOS O VEJAM!
    O ASSÉDIO MORAL SOFRIDO PELA PERSONAGEM PRINCIPAL É UM FATO QUE ACONTECE COM MUITA FREQUÊNCIA!
    FILME FANTÁSTICO!

    ResponderExcluir
  10. A história da Carrie parece manjada porque na vida real existem muitas pessoas como ela, que sofreram buylling na escola, possuíam um visual desajeitado e deram a volta por cima disso tudo. A diferença é que algumas dessas pessoas superaram isso de forma positiva.

    ResponderExcluir
  11. Era pra ser terror, mas é um drama. Bullying é foda.

    ResponderExcluir
  12. Manjada pq as pessoas não fazem mais vista grossa para esse tipo de comportamento, algo que era comum na época do filme, cara Mariana.

    ResponderExcluir
  13. Ai, gente. Assisti essa semana e não conhecia (graças a Alá)outras versões, só ouvia falar mesmo, passou no TC Touch. E EU AMEEIII!!!!!

    CARRIIIEEEEE we love u <3<3<3

    stelio junior

    ResponderExcluir
  14. Carrie de 1976 é um filme muito bom, um dos poucos "teen movies" que eu curto, hehe. Não tem como não ter dó da mina durante o filme, assim como é muito legal ver as cenas da vingança dela, dando o troco em todo mundo que ficava tirando ela. Meio que lava a alma, é sempre legal ver FDP's se ferrando, hehe.
    A refilmagem de 2002 que passa direto no SBT é triste. Embora não destoe da história, o filme é tosquíssimo, muito mal feito e atores mais canastrões que os das novelas nacionais do SBT. Aliás, é difícil uma refilmagem ser boa, são poucos os filmes desse tipo que são comparáveis ou até mesmo melhores que os originais.

    ResponderExcluir
  15. Eu odiei a versão de 2002 e amei a de 1976 hauhauhauah

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.