3 de fev de 2010

A Órfã (Orphan)

Título no Brasil: A Órfã
Título Original:
Orphan

País de Origem:
EUA / Canadá

Gênero:
Suspense/Terror

Tempo de Duração:
123 minutos

Ano de Lançamento:
2009

Estréia no Brasil:
04/09/2009

Estúdio/Distrib.:
Warner Bros

Direção:
Jaume Collet-Serra


Site Oficial

Elenco: Vera Farmiga, Peter Sarsgaard, Isabelle Fuhrman, CCH Pounder, Jimmy Bennett, Margo Martindale, Karel Roden, Aryana Engineer, Rosemary Dunsmore, [+].



Sinopse


A tragédia parece acompanhar a vida de Esther apesar dos seus 9 anos de idade. Ela é uma órfã russa e a família que a adotou morreu em um incêndio que também quase a matou. Mas agora uma nova família, os Coleman, a adotou e a vida parece ter entrado nos eixos novamente. Até o dia que uma colega de classe de Esther sofre um acidente mais sério, uma freira é golpeada até a morte e a nova mãe da garota começa a se perguntar se a família de Esther realmente morreu em um incêndio acidental. Produzido pela Dark Castle, A Órfã é um filme que reserva reviravoltas em sua narrativa de thriller psicológico e magnetiza o público na poltrona com elementos de mistério, suspense e terror. Você nunca esquecerá Esther. Tão doce. Tão inteligente. Tão criativa. Tão perturbada.

Vai lendo!


Havia uma enorme expectativa para a estréia desse filme. Do diretor Jaume Collet-Serra (A Casa de Cera), A Órfã era um dos filmes de suspense mais comentado no ano passado. Muitos já o considerava o melhor filme de suspense de 2009. Porém, depois da estréia, como já era de se esperar, o filme não agradou tanto assim.

Primeiramente porque muita tia gente foi assisti-lo achando que se tratava de um filme dramático sobre adoção. Obviamente surpreenderam-se com cenas fortes de um filme que está mais para suspense psicológico do que drama e por isso detestaram o filme.



Outros foram assistir esperando um terrorzão, com menina demoníaca e sangue para todos os lados. Decepcionaram-se, pois A Órfã não é aquele terror gore.


Na verdade o filme é como já disse mais acima: um suspense ou no máximo um terror psicológico. O que realmente deixou muita gente impressionada com o filme foi certas cenas que nada tem haver com terror e o fato de tratar sobre um assunto polêmico: a adoção.

Na minha opinião, esse não é um filme para pessoas que não estão acostumadas com o gênero e também não é um filme sério para se discutir sobre adoção. Em filmes de terror e suspense sempre espere qualquer coisa e com uma classificação de 18 anos, já era para muitos perceberem que não se tratava de Teletubies. Também pelo gênero, é mais comum retirarmos do filme apenas entretenimento do que projeto de vida. Então sobre a adoção, creio que muitos levaram a sério um filme que tem como maior objetivo um simples entretenimento do que promover uma discussão séria sobre o assunto. Assista sem levar muito a sério o assunto e se for muito sensível, prepare-se para cenas que possam chocá-lo um pouco.

O início do A Órfã é bem lento, muito lento na verdade. Tem todo um drama e pode até dar uma certa preguiça de ver. A história só vai agitar mesmo depois que Esther (Isabelle Fuhrman) vai para a casa da família Coleman, e aí sim o filme começa a ficar mais interessante. Porém tem também muitas falhas. Há várias tentativas de sustos, que no final das contas não chegam a assustar. Muito draminha típico de vários outros filmes e trilha sonora comum em filmes do gênero. Também há várias cenas que ainda não consegui digerir. Achei sem graça, óbvias ou desnecessárias.



Apesar disso tudo o filme também tem seu lado bom. A reviravolta no final, embora alguns não tenham gostado, achei bem interessante. Só foi muito rápida e poderia ter sido melhor explicada ou aproveitada, mas mesmo assim ficou legal e não achei um total absurdo. A fotografia do filme também é muito bonita, porém não chega a ser maravilhosa.

As atuações foram até boas, mas sem dúvidas as que mais se destacaram foram das meninas Isabelle Fuhrman (Esther) e da pequena Aryana Engineer (Max Coleman). Para uma criança de 11 anos (idade que ela tinha na época em que gravou o filme), Isabelle foi excelente! Um papel muito forte para uma menina da idade dela e que conseguiu convencer, sendo meiga em determinados momentos e extremamente mórbida em outros. Aryana (surda na vida real) foi uma fofura e com certeza conquistou muita gente com a sua personagem carismática e corajosa.



Enfim, um filme bem feito, mas que requer um tempo para ser digerido e apreciado. Muitos não gostaram e outros amaram, aí vai do gosto de cada pessoa. Particularmente achei interessante e surpreendente, gostei! Não é um dos melhores que já assisti e poderia ser melhor em alguns aspectos, mas é legal!

Nota (0-10): 8,5


Trailer (legendado em português)




Trailer HD (sem legendas)




Curiosidades


- A personagem irmã Abigail foi escrita para CCH Pounder;

- A foto do Instituto Saarne era na verdade o Alma College, localizado em St. Thomas, Ontario, no Canadá. O local foi destruído por um incêndio em 28 de maio de 2008;


- Não há créditos iniciais, sendo apenas exibidos o título do filme e as logomarcas dos produtores;


- Durante os créditos finais um arquivo do Instituto Saarne revela o nome de nascimento de Esther;


- O roteiro foi escrito de trás para a frente, a partir da surpresa que Esther guarda e também havia sido escrito para se passar no outono. Algumas tomadas exteriores foram filmadas para estabelecer esse detalhe. Contudo, a nevasca de 2007 mudou a paisagem de Toronto no Canadá, e forçou que o roteiro mudasse a história para se passar no inverno;


- A Warner Bros. foi forçada a editar o trailer do filme, retirando uma frase da personagem principal: “Deve ser difícil amar uma filha adotada tanto quanto seus filhos biológicos”. Houve uma série de protestos vindos de pais adotivos e instituições de adoção que fizeram a Warner editar o trailer.


Informações retiradas daqui e daqui.


Sobre algumas cenas (contém SPOILER)

- Esther tem cicatrizes no pulso certo? Mas quando ela quebrou o braço será que o médico não retirou a fita do pulso para poder engessar o braço? Com certeza ele fez isso e como é muito estranho ver uma criança de 9 anos com essas cicatrizes no pulso, qualquer médico certamente comunicaria aos responsáveis. Esther poderia ter convencio o médico a não contar, mas é meio difícil. Momento FAIL do filme, mas tudo bem.

- Muitos falaram que foram fortes as cenas da Esther e que exporam de mais a atriz mirim. Pra mim conservaram muito a menina, pois em outros filmes há cenas bem mais fortes envolvendo crianças e o fato dela ser maldosa nem é novidade no cinema, ainda mais quando se trata de terror/suspense. Jodelle Ferland fez o próprio diabo em Terror em Silent Hill e Linda Blair fez a garota possuída com boca suja no O Exorcista. Alguém protestou contra isso? O fato é que muitos que nem apreciam terror/suspense foram assistir achando que se tratava de um drama e acabaram se surpreendendo com cenas mais fortes.

 
- Convenhamos que a cena em que Esther aponta a arma pra cabeça da pequena Max foi completamente desnecessária, mas muito boa. Cena intensa e com um ângulo de câmera muito bom!

- Cena intensa também do garoto no telhado da casa da árvore. Fiquei com muita dó do menino, mas foi engraçado ver a cara de contente da Esther olhando pra cima... huahuahua


- A atuação da Vera Farmiga (Kate Coleman) foi boa, mas muito melancólica e chega dar um pouco de raiva dela. Pior mesmo foi
Peter Sarsgaard (John Coleman), que não teve uma atuação muito diferente do seu personagem no filme Plano de Vôo com Jodie Foster e serviu apenas como o "idiota enganado" nesse filme.

- Em A Orfã há muitas cenas típicas em que parece que haverá um susto (a trilha sonora até te prepara pra isso) mas acaba não acontecendo nada. Isso pra mim já encheu. Se é pra ter susto, tenha, porém a trilha sonora não precisa te preparar para isso. ¬¬


- Ninguém acreditar em outra pessoa e no final se ferrar por isso também já é bastante comum e foi algo que fez com que muitos não gostassem tanto assim desse filme.



Se eu lembrar de mais alguma coisa, acrescento depois! ^^


Gostou da postagem? Assistiu o filme? Gostou do filme ou achou que perdeu tempo assistindo? Comente aí! xD

12 comentários:

  1. Gostei do filme pricipalmente pelo final achei algo novo e interessante, pois assisti o filme achando que era mais um filme com historia de uma criança pertubada q só queria sangue kkkkk.
    O filme tem seus erros mais acho que a historia os supera.
    Gostei muito do post. :D

    ResponderExcluir
  2. Vi esse filme e é muuuuuito bom...Final surpreendente!!!

    ResponderExcluir
  3. esse filme merecia 9

    vc foi má :P

    ResponderExcluir
  4. Realmente um bom filme, e o principal é que surpreende no final na grande revelação. Como eu disse pros meus amigos: A Esther é o sonho de consumo dos pedofilos kkk

    ResponderExcluir
  5. Faço minhas as palavras da Ariana.

    Não cheguei a assistir achando que seria um filme sangrento, mas aconteceu exatamente tudo (até antes do final, claro) que imaginei: o filme faz de TUDO pra deixar o espectador com ódio mortal da Esther.

    Ninne, concordo com você. Em muitos filmes as crianças fazem coisas piores (ótimos exemplos os de O Exorcista e de Silent Hill, pensei exatamente neles) mas nunca a crítica reclamou disso. Acho que tocar no assunto "adoção" não foi delicado também, afinal o filme não se aprofunda nisso; a premissa é a ADAPTAÇÃO da menina e não o processo da adoção em si.

    Os dois últimos pontos que você citou foram os que mais me fizeram "gostar menos" do filme: excesso de ameaças de sustos e aquele personagem clichê que se mata pra tentar passar uma mensagem mas ninguém acredita nele(a). MAS isso não chegou a pôr tudo a perder, o final é realmente inimaginável.

    O que não me convenceu muito nesse filme foi a liberdade que os pais dão a ela, mas isso é questão de costume. A história não me prendeu muito porque senti que estava assistindo O Anjo Malvado versão feminina, porém repito, o final é surpreendente mesmo e torna o filme único.

    Veredito? Exatamente a mesma sua: não é perfeito mas vale a pena! :D

    ResponderExcluir
  6. A Órfã é um filme muito bom!Eu fiquei sabendo que A Órfã foi um dos 10 filmes mais caros do mundo,ficando em 9º lugar e em 10º ficou Jogos Mortais VI

    ResponderExcluir
  7. Muito bom esse filme, eu realmente me surpreendi no final.

    ResponderExcluir
  8. Eu assisti o filme e ameeei, o final foi perfeitinho surpreendente, salvou o final de semana, foi o único que não me fez dormir...rsrs
    Me trouxe informações que eu deconhecia, como a característica da doença hipopituitarismo.
    A pequena "Max coleman"(Aryana) apresentou uma perfeita atuação, fiquei apaixonada por ela, linda e meiga mostra lado sincero de uma pequena criança contrapondo-se a maléfica Esther, que também teve ótima atuação.
    Recomendo o final!!!

    ResponderExcluir
  9. Bom, o que eu posso dizer... Se tornou o meu filme preferido e não sei se algum outro vai conseguir desbancá-lo. Eu gostei de absolutamente TUDO nesse filme, incluindo as cenas de drama do início.

    SPOILER
    Mas uma coisa que vc comentou eu acho que não tá correto - quando a Esther quebra o braço e vai pro hospital, não é exatamente pelas cicatrizes no pulso que os médicos suspeitariam de algo, o motivo maior é que o raio-x mostraria que os ossos dela já são desenvolvidos!

    ResponderExcluir
  10. gostei do filme mas esperava ver mais sangue!!!!!!!!!!!!!!1

    ResponderExcluir
  11. ótimo filme nota dez!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. acabei de assisti e realmente o final é surpreendente!! recomendadíssimo!!

    ResponderExcluir

• Faça pedido de parceria somente na página reservada para isso.

Não aceitamos comentários ofensivos. Se quiser criticar a postagem, critique com educação.

Spams não serão aceitos. Aqui não é lugar para você divulgar seu site, blog ou seja lá o que for.

• Lembre-se de que o Vai Assistindo possui mais de um autor. Portanto, a crítica de cada um deles não expressa a opinião de todos os outros autores. Procure ver logo abaixo do título de cada postagem o nome do autor que a criou.

• As opiniões expressas nos comentários não refletem as dos autores do blog.